AFP PHOTO | POOL | ABIR SULTAN
AFP PHOTO | POOL | ABIR SULTAN

Israel rejeita decisão judicial para devolver corpos de militantes do Hamas

Gabinete acatou a recomendação do advogado-geral de Israel, Avichai Mendelblit, que desaconselhou que o premiê Binyamin Netanyahu enviasse um projeto de lei ao Parlamento para driblar a proibição

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2017 | 13h13

JERUSALÉM - O governo de Israel recorreu de uma decisão da Suprema Corte que proíbe o executivo de reter corpos de militantes palestinos em vez de enviá-los para suas famílias nos territórios palestinos. 

+ Turquia planeja criar embaixada em Jerusalém Oriental, diz Erdogan

O gabinete acatou a recomendação do advogado-geral de Israel, Avichai Mendelblit, que desaconselhou que o premiê Binyamin Netanyahu enviasse um projeto de lei ao Parlamento para driblar o veto. 

Na semana passada, a Suprema Corte emitiu a decisão que proibia o Executivo de não mandar os corpos de militantes mortos em Israel para suas famílias, considerada “muito problemática” por Netanyahu. “Não deveríamos dar presentes ao Hamas”, disse o premiê. 

+ Palestinos denunciam declaração dos EUA sobre Muro das Lamentações

Assessores do governo disseram ao jornal Haaretz que, caso o governo tentasse passar pela decisão do Supremo isso poderia acarretar futuros prejuízos, como a derrubada de medidas de seguranças emergenciais editadas por Netanyahu. 

Ataque

Na manhã desta segunda-feira, o Exército israelense atacou um complexo de treinamento do Hamas em Gaza em resposta a ataques de mísseis a partir do enclave palestino, que aumentaram desde que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu Jerusalém como capital de Israel no dia 6 de dezembro.

+ Israel fecha fronteira com Gaza após disparos de foguetes palestinos

Nenhum dos lados relatou mortes causadas pelo conflito noturno, que aconteceu dias antes do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, visitar Israel e o vizinho Egito, que também faz fronteira com Gaza e está envolvido em suas questões políticas internas.

Militantes em Gaza, território controlado pelo grupo islâmico Hamas, lançaram mais de uma dúzia de mísseis contra o sul de Israel nas últimas duas semanas, nos ataques mais intensos desde uma guerra de sete semanas de 2014 em Gaza.

Dois mísseis foram lançados na noite de domingo, com um explodindo dentro de uma comunidade de fronteira israelense e outro atingindo uma área livre, disse o Exército. Outro míssil lançado na manhã desta segunda-feira quase caiu dentro de Gaza. Três estruturas do campo de treinamento do Hamas foram atingidas pelo contra-ataque de Israel, disse o Exército. / AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.