Noruega acusa Irã de confiscar prêmio de Nobel da Paz

As autoridades do Irã confiscaram a medalha da vencedora do prêmio Nobel da Paz de 2003, Shirin Ebadi, segundo denunciou hoje o governo da Noruega. As autoridades norueguesas receberam a informação de que a medalha de Ebadi foi confiscada de uma caixa de segurança num banco no Irã, junto a outros objetos pessoais da vencedora, incluído um diploma que acompanha a medalha, disse a porta-voz da chancelaria norueguesa, Ragnhild Imerslund.

AE-AP, Agencia Estado

26 Novembro 2009 | 20h31

A porta-voz não revelou a fonte da informação, mas a qualificou de confiável. Ela disse também que as autoridades da Noruega estão em contato com Ebadi desde o incidente. O chanceler da Noruega, Jonas Gahr Stoere, qualificou o incidente de "assombroso" e disse que "foi a primeira vez que um prêmio Nobel da Paz foi confiscado por autoridades nacionais".

A chancelaria da Noruega convocou ontem o encarregado de negócios do Irã em Oslo para protestar contra o confisco, disse Imerslund. A chancelaria também manifestou "grave preocupação" pelo marido de Ebadi, o qual foi detido recentemente em Teerã e "golpeado severamente".

Ebadi, uma advogada especializada em direitos humanos, venceu o prêmio Nobel da Paz de 2003 "por seus esforços em favor da democracia e dos direitos humanos, especialmente dos direitos das mulheres e das crianças, no Irã e no mundo muçulmano em geral" segundo o comunicado do Comitê Norueguês do Nobel, que outorga o prêmio. Ebadi tem viajado ao exterior e criticado a brutal repressão que se seguiu à controversa reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Mais conteúdo sobre:
Noruega Irã Nobel da Paz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.