John Moore/Getty Images/AFP
John Moore/Getty Images/AFP

Nos EUA, escolas tentam determinar quando suspender aulas em razão do frio

Autoridades municipais e estaduais não contam com parâmetros unificados sobre os limites seguros de temperatura para manter atividades escolares; também há preocupações com estudantes que dependem da escola para se alimentar

Valerie Strauss / Washington Post, O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2018 | 15h20

NOVA YORK - Em Buffalo, Nova York, onde a temperatura mínima para o mês de janeiro é de -7,5 ºC, em média, as escolas públicas estão fechadas nesta sexta-feira, 5, e a programação para o sábado também foi suspensa. O Motivo? Está frio. Muito frio. E vai piorar.

O que o frio nos Estados Unidos tem a ver com aquecimento global?

Mas como determinar se as atividades escolares devem ser suspensas em razão da (baixa) temperatura? Esta é uma questão que toda a Costa Leste dos EUA está se fazendo, especialmente nas áreas afetadas pelo que os meteorologistas estão chamando de "furacão de neve" ou "bomba ciclone", que fez as temperaturas, já baixas, despencarem.

Nos EUA não existe um padrão nacional ou profissional sobre temperaturas que os adultos podem consultar para determinar se as crianças devem ser mantidas em casa ou não. 

Os funcionários das escolas - e às vezes os diretores - tomam suas decisões caso a caso, geralmente avaliando vários fatores, incluindo a temperatura, a sensação térmica em razão dos ventos e as condições da estrada.

Nevasca cancela cerca de 5 mil voos nos EUA

Keith Marty, superintendente do distrito escolar Parkway, no Missouri, publicou um texto para os pais no site do sistema de ensino nesta semana dizendo o seguinte: "Alguns de vocês nos perguntaram como decidimos ou não fechar as escolas em razão das baixas temperaturas. Como superintendente de um grande distrito escolar, é sempre um desafio balancear meu desejo de ter as crianças na escola com o meu desejo de mantê-las seguras".

A localização da escola também é outro fator importante para determinar seu fechamento ou não. Em Minnesota, as crianças estão mais acostumadas com baixas temperaturas no inverno, ao contrário das crianças do Sul dos EUA. 

Também estão em jogo preocupações sobre os requisitos de atendimento aos estudantes estaduais e questões de deslocamento (como por quanto tempo os alunos têm que esperar ao ar livre por transporte, se as estradas estão transitáveis para carro ou se o transporte público está funcionando), bem como os riscos para a saúde causados pelo frio e as condição de muitos edifícios escolares velhos ou mal conservados.

Muitos distritos também se preocupam com os estudantes que fazem a maior parte ou toda as suas refeições nas escolas e com aqueles cujos pais ou responsáveis não podem ficar em casa em razão do trabalho.

Americanos estão deixando seus cachorros morrer congelados

Matt Guilfoyle, porta-voz das escolas públicas do condado de Fairfax, na Virgínia, disse por e-mail que seu sistema escolar "acredita firmemente que os estudantes estarão em melhores condições, tanto acadêmicas quanto sociais, se continuarem nas escolas", mas disse que cabe aos pais decidirem se enviarão ou não seus filhos para as atividades nos dias mais frios.

Voltando ao caso de Buffalo: as autoridades locais decidiram fechar as escolas nesta sexta-feira considerando as previsões de que as temperaturas ficariam em torno -17 ºC, mas com sensação térmica de -28 ºC em razão dos fortes ventos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.