Novo governo do Iraque decide enviar delegação à ONU

Em seu primeiro dia de trabalho, o novo conselho governante do Iraque votou por enviar uma delegação ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, a fim de reivindicar direito de ser a voz do Iraque no cenário internacional. Nas ruas de Bagdá, uma explosão destruiu um carro próximo ao local da reunião do governo, e outro soldado americano morreu numa emboscada. Ao mesmo tempo, milhares de pessoas compareceram a uma cerimônia em homenagem ao herdeiro presuntivo do trono do Iraque, Sharif Ali bin Hussein, que saudou os manifestantes em seu palácio. O evento marcou o Dia da Revolução, 45º aniversário do golpe de 1958, em que o rei Faiçal II foi morto, encerrando a monarquia iraquiana. O conselho governante cancelou diversos feriados criados por Saddam Hussein, mas a festa do Dia da Revolução precede a ditadura de Saddam. Esta foi a primeira vez em que monarquistas puderam se manifestar. O conselho, composto por 25 iraquianos de diversas facções políticas e religiosas, anunciou que a delegação para a ONU iria ?garantir e enfatizar o papel do conselho governante como o corpo iraquiano legítimo durante esta transição?. Também foram criadas três comissões para organizar os assuntos das próximas semanas, disse o porta-voz Hoshyar Zebari. A eleição do líder do órgão foi adiada.

Agencia Estado,

14 Julho 2003 | 16h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.