Número de mortos em ataque do Taleban em Cabul sobe para 64

Número de mortos em ataque do Taleban em Cabul sobe para 64

Ministério do Interior do Afeganistão divulgou novo balanço das vítimas da explosão e do ataque de homens armados a agência de segurança; premiê Abdullah Abdullah adia viagem ao Paquistão

O Estado de S. Paulo

20 Abril 2016 | 10h15

CABUL - O número de vítimas em um atentado suicida cometido por combatentes do Taleban em Cabul na terça-feira subiu para 64 mortos e 347 feridos, de acordo com o Ministério do Interior. Inicialmente, as autoridades falavam de 28 mortos e 320 feridos.

O chefe da polícia da capital afegã, general Abdul Rahman Rahimi, afirmou nesta quarta-feira, 20, que duas equipes de investigação foram criadas para analisar a explosão. Rahimi disse também que a maioria das vítimas são civis, incluindo mulheres e crianças.

O ataque, reivindicado pelo Taleban, teve como alvo uma agência que presta serviços de proteção para funcionários do alto escalão do governo, algo parecido com o que o serviço secreto faz nos EUA. Um terrorista suicida detonou um caminhão carregado de explosivos do lado de fora do complexo onde essa agência operava e pelo menos dois atiradores invadiram o local, atacando os sobreviventes.

Rahimi disse que "as informações preliminares indicam que o ataque foi planejado fora das fronteiras do país", uma forma indireta que as autoridades afegãs usam para culpar o vizinho Paquistão pelos atos terroristas - o Afeganistão acusa as autoridades paquistanesas de proteger líder do Taleban.

O primeiro-ministro do Afeganistão, Abdullah Abdullah, adiou uma visita que faria ao Paquistão e viajou para a região do ataque de terça-feira, informou um porta-voz.

"O governo aumentou seus esforços peça paz, mas infelizmente a resposta do inimigo foi mais enfrentamento, violência, derramamento de sangue e morte de inocentes", disse Abullah. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.