O dia seguinte nas câmeras da <i>Al-Jazeera</i>

O canal de televisão a cabo árabe Al-Jazeera, do Catar, é hoje o grande protagonista da informação internacional, com ampla vantagem sobre o resto das emissoras por sua cobertura exclusiva e direta do Afeganistão no dia seguinte aos ataques anglo-americanos contra o regime do Taleban e às bases de Osama bin Laden. Há dez anos, todo o mundo - incluindo os árabes - estava pregado na rede norte-americana CNN, que transmitia ao vivo a ofensiva militar aliada, encabeçada pelos Estados Unidos, contra o Iraque (janeiro e fevereiro de 1991). Agora é a CNN, como todos os principais canais ocidentais, que sintoniza na Al-Jazeera, única emissora que transmite de Cabul imagens ao vivo e entrevistas com os líderes talebans. O rosto sereno de Taisir Allouni, o enviado a Cabul do canal do Catar, com sua bem cuidada barba, converteu-se no equivalente de Peter Arnett, que com mais fogosidade descrevia os bombardeios sobre Bagdá em 1991. Além de Allouni, a Al-Jazeera tem outros dois enviados, um em Kandahar (Afeganistão) e outro no Paquistão. Hoje, antes de transmitir entrevistas com Fadl al-Rahman, um líder paquistanês pró-Taleban sob prisão domiciliar, com o ex-porta-voz do Departamento de Estado norte-americano James Rubin e com analistas britânicos e russos, a Al-Jazeera emitiu imagens dos protestos pró-Taleban no Paquistão. No domingo, o canal do Catar foi o primeiro a dar a notícia do começo das operações militares. Hoje, suas câmeras foram as únicas a passearem pela ruas de Cabul, mostrando cenas de destruição e os residentes que tentavam retomar uma vida normal, levantando as portas de suas lojas e instalando suas bancas nas ruas. Al-Jazeera mostrou também as imagens exclusivas de um radar em cima de uma colina, destruído pelas bombas aliadas, assim como as de pessoas que tentavam recuperar algum objeto entre os escombros de suas casas. Allouni informou aos telespectadores que o aeroporto e o bairro militar dos talebans em Cabul foram atingidos pelos mísseis, assim como o aeroporto de Herat, onde foram destruídos um avião e tanques de combustível. Segundo a emissora, durante as incursões aliadas de ontem, foram afetados campos de treinamento do Al-Qaeda em Jalalaba e a casa do líder supremo do Taleban, o mulá Mohammad Omar, em Kandahar. Leia o especial

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 17h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.