Obama avalia quatro opções para a guerra no Afeganistão

Nova estratégia será discutida nesta quarta-feira durante encontro com a equipe de segurança nacional

estadao.com.br,

11 Novembro 2009 | 07h46

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, considera quatro opções para a nova estratégia na guerra do Afeganistão e espera discuti-las em reunião com sua equipe de segurança nacional nesta quarta-feira, 11. No centro do debate está o pedido do comandante das tropas aliadas no Afeganistão, general Stanley McChrystal, para o envio de mais 40 mil soldados.

 

Veja também:

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

Segundo o secretário de imprensa da Casa Branca, Robert Gibbs, ainda faltam "semanas" para que Obama anuncie uma decisão. "Quem disser que o presidente já tomou uma decisão não tem a menor ideia do que está falando", disse Gibbs em declarações à imprensa a bordo do avião Air Force One, no qual Obama seguiu para o funeral das 13 vítimas do massacre na base militar de Fort Hood, no estado do Texas.

 

Este será o oitavo encontro de Obama com a equipe para analisar a estratégia a seguir. O encontro coincide com a comemoração do Dia dos Veteranos, ocasião em que os EUA prestam homenagem a suas Forças Armadas e aos mortos em combate. Por causa da data, um grupo de senadores republicanos aproveitou para enviar uma carta a Obama na qual pedem para que autorize o envio das tropas solicitadas por McChrystal. "O quanto antes pudermos fornecer os reforços e os recursos de que necessitam, mais seguras estarão" as tropas americanas no Afeganistão, destacaram os legisladores.

 

Segundo a imprensa americana, as opções contempladas incluem em cada caso um aumento de tropas, que oscila entre 15 mil e mais de 40 mil. A opção aparentemente mais forte é a que prevê o envio gradual de cerca de 34 mil soldados, que seriam posicionados em todo o país, mas principalmente no sul e sudeste, onde se concentra a luta contra a insurgência.

 

Segundo a rede CNN, Obama pretende ainda discutir com a equipe de segurança nacional o tipo de cooperação que os EUA podem esperar do governo do presidente afegão reeleito, Hamid Karzai, o tipo de suporte civil que os EUA esperam oferecer e que tipo de apoio a Casa Branca pode conseguir de outros países. Atualmente, há 68 mil militares americanos e outros 40 mil de países aliados no Afeganistão.

Mais conteúdo sobre:
Afeganistão EUA Barack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.