Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional » Obama chega a Cuba e inicia visita histórica de reaproximação

Internacional

REUTERS/Carlos Barria

Internacional

Cuba

Obama chega a Cuba e inicia visita histórica de reaproximação

Avião com o presidente americano, sua família e delegação de congressistas pousou no Aeroporto Internacional José Martí, em Havana, às 17h20 (horário de Brasília) deste domingo

0

Cláudia Trevisan, Enviada Especial / Havana,
O Estado de S. Paulo

20 Março 2016 | 17h47

HAVANA - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou às 16h20 (17h20 no horário de Brasília) deste domingo, 20, a Cuba, para a primeira visita de um chefe de Estado americano a ilha comunista em 88 anos. A viagem do líder americano, que ficará em Havana até terça-feira, tem como objetivo selar a reaproximação iniciada pelos dois países em dezembro de 2014.

Momentos depois de tocar o solo, o presidente americano publicou mensagem em sua conta no Twitter saudando os cubanos e dizendo estar "ansioso para encontrar e conversar diretamente como o povo cubano". "Que bolá, Cuba" (Olá Cuba, em tradução livre), escreveu Obama na mensagem, usando uma saudação típica de Cuba.

O Air Force One, o avião presidencial americano, pousou nesta tarde no Aeroporto Internacional José Martí com o líder americano, sua mulher Michelle, as duas filhas do casal, Malia e Sasha e a sogra de Obama, Marian Robinson. Também acompanha Obama nessa visita uma delegação de 23 congressistas, com destaque para a líder democrata Nancy Pelosi e o senador republicano Jeff Flake.

Eles foram recebidos pelo chanceler cubano, Bruno Rodríguez, pela diretora para América do Norte do Ministério de Relações Exteriores, Josefina Vidal, pelo embaixador de Cuba nos EUA, José Ramón Cabañas, e pelo encarregado de negócios da embaixada dos EUA na ilha, Jeffrey DeLaurentis.

No momento da chegada da delegação americana caiu uma fina chuva em Havana, obrigado o presidente, sua família e toda a comitiva que o acompanhava a se proteger com guarda-chuvas. O chanceler cubano presenteou Michelle com um ramalhete de rosas brancas, as filhas do casal, Sasha e Malia, com um ramalhete de rosas cor de rosa, e a sogra de Obama com um ramalhete de rosas vermelhas.

Ainda neste domingo, Obama dedicará sua primeira tarde em Cuba a uma visita ao bairro Havana Velha, provavelmente acompanhado pela família. Lá, ele visitará a Catedral, onde será recebido pelo cardeal Jaime Ortega.

A agenda oficial de Obama começa na manhã de segunda-feira, um encontro com seu homólogo cubano, Raúl Castro, na Palácio da Revolução. Está previsto após o término da reunião um pronunciamento conjunto dos dois líderes para a imprensa.

Depois, Obama participará de um encontro com empresários americanos e "cuentapropistas", como são chamados na ilha os empreendedores individuais que emergiram em uma controlada abertura feita pelo regime à iniciativa privada como parte de reformas econômicas propostas por Raúl.

Na terça-feira, 22, último dia da visita de Obama, o presidente americano fará um pronunciamento dirigido ao povo cubano no Gran Teatro de Havana, que será transmitida ao vivo pela televisão estatal da ilha. Nesse mesmo dia, ele terá também um encontro com representantes da sociedade civil, incluindo representantes da dissidência interna.

Obama e sua família se despedem de Cuba na tarde de terça-feira depois de assistirem uma simbólica partida de beisebol no Estádio Latinoamericano de Havana entre a seleção cubana e o Tampa Bay Rays da Florida.

Comentários