1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Obama inicia no domingo primeira visita de um presidente dos EUA a Cuba em 88 anos

- Atualizado: 19 Março 2016 | 21h 38

Chegada do líder americano à ilha selará reaproximação entre os dois países após décadas de ruptura diplomática; restrições impostas pelo embargo vêm sendo aliviadas por medidas paralelas

HAVANA - Consolidando o feito mais relevante de sua política externa para a América Latina, o presidente americano, Barack Obama, desembarcará neste domingo em Havana na primeira viagem oficial de um líder dos EUA à ilha em quase nove décadas. A última visita deste nível entre os dois países foi em 1928, quando Calvin Coolidge foi recebido na ilha por seu colega cubano, Gerardo Machado.

O gesto de Obama coroa o esforço diplomático que tomou corpo em 17 de dezembro de 2014, quando os dois países – inimigos mortais do período da Guerra Fria, que quase levaram o planeta a um conflito nuclear em 1962 – se comprometeram a reduzir o grau do confronto, reabrir suas respectivas embaixadas e incentivar o intercâmbio comercial, cultural e científico.

Turistas passam por cartaz no centro de Havana dando boas-vindas a Obama

Turistas passam por cartaz no centro de Havana dando boas-vindas a Obama

Famílias separadas em razão da intensa rivalidade ideológica veem na reaproximação uma nova oportunidade de integração. Cubanos que migraram para os EUA – a poucas milhas de distância – poderão agora tomar voos regulares para a ilha, assim como ajudar parentes em Cuba com menos limitações do que as que enfrentam hoje.

Embora a situação diplomática tenha alcançado nos últimos meses um alívio sem precedentes desde o triunfo da revolução liderada por Fidel Castro, em 1959, restam dois pontos dos mais espinhosos para que as relações dos dois países cheguem à normalização total: o embargo econômico imposto por Washington em 1962 e o status da região de Guantánamo, arrendada perpetuamente pelos EUA em 1903.

No caso do embargo, seu levantamento teria de ser aprovado pelo Congresso americano – possibilidade pouco factível diante da maioria republicana do Legislativo dos EUA. Seu efeitos, porém, podem ser amenizados por medidas executivas. Washington não cogita, no entanto, a devolução de Guantánamo no curto prazo.

Cuba se prepara para chegada do presidente dos EUA Barack Obama
EFE/Ernesto Mastrascusa
Cuba se prepara para chegada do presidente dos EUA Barack Obama

O presidente dos EUA, Barack Obama, fará uma visita a Cuba entre os dias 20 e 22 de março, acompanhado por uma delegação de 23 membros do Congresso americano. Ilha se prepara para receber o líder após retomada das relações diplomáticas entre os dois países

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX