Obama pede libertação de líder oposicionista em Mianmar

Apelo de líder americano foi feito em encontro histórico com o premiê birmanês Thein Sein.

BBC Brasil, BBC

15 Novembro 2009 | 09h21

O presidente americano, Barack Obama, fez um apelo pessoal ao primeiro-ministro de Mianmar, general Thein Sein, para que liberte a líder oposicionista pró-democracia, Aung San Suu Kyi.

O pedido foi feito durante um encontro histórico que Obama teve com os dez líderes da Associação dos Países do Sudeste Asiático (Asean, na sigla em inglês), que acontece paralelamente à cúpula da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec).

Até então governos americanos haviam se recusado a participar de encontros da Asean porque isto implica sentar-se à mesa com membros do governo militar de Mianmar.

A prisão domiciliar de Suu Kyi foi estendida em agosto e, segundo analistas, as autoridades birmanesas querem mantê-la afastada do público até as eleições do ano que vem. Nas últimas duas décadas, ela passou 14 anos presa.

O partido da líder oposicionista ganhou as eleições de 1990 mas a junta militar nunca permitiu que ela assumisse a Presidência.

O governo Obama diz estar disposto a um maior engajamento diplomático com o governo militar de Mianmar, mas reafirmou que as sanções econômicas atualmente impostas ao país vão permanecer até que haja progressos democráticos.

Obama realiza esta semana sua primeira viagem presidencial à Ásia. Após passar pelo Japão, o líder americano chegou à Cingapura no sábado para participar da cúpula da Apec. Neste domingo, o presidente segue para a China e na quarta-feira vai à Coreia do Sul. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
barack obama viagem ásia mianmar militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.