Obama promete deter responsáveis por carro-bomba em Times Square

Polícia procura homem branco de cerca de 40 anos suspeito de estar envolvido no episódio

Agência Estado

03 Maio 2010 | 09h31

NOVA YORK - O presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu nesta segunda-feira, 3, deter os responsáveis pela tentativa de atentado com um carro-bomba na Times Square, em Nova York, no sábado. O anúncio de Obama ocorre momentos depois que investigadores disseram que há fortes pistas sobre quem abandonou o utilitário Nissan Pathfinder com uma grande quantidade de explosivos caseiros.

 

Veja também:

linkCriadores de 'South Park' poderiam ser alvo

linkPolícia divulga imagens do suspeito

A polícia de Nova York procurava por um homem branco visto perto do carro-bomba na Times Square. A tentativa de atentado levou a um novo alerta de terrorismo nos EUA, mas autoridades minimizaram a possibilidade de um vínculo da rede terrorista Al-Qaeda no plano.

O homem na casa dos 40 anos foi flagrado por câmeras de segurança tirando sua camiseta, pouco antes do alerta e da polícia retirar milhares de turistas das proximidades de um bairro cheio de teatros, disseram funcionários. A polícia estudou imagens de 82 câmeras de segurança no entorno da Times Square e também provas encontradas no carro e na bomba, levadas para laboratórios da polícia em Nova York.

Uma imagem registrou o homem que, segundo o chefe de polícia da cidade, Raymond Kelly, agia de maneira "furtiva" enquanto fugia do local. Kelly disse que um turista contatou a polícia dizendo que pode ter tirado uma foto do indivíduo, enquanto filmava um policial em um cavalo perto dali.

Alerta

A cidade de Nova York enfrenta constante alerta de terrorismo desde os atentados de 11 de setembro de 2001, mas autoridades descartaram um vínculo importante de militantes islamitas com essa tentativa de atentado.

"Não há prova de que esteja ligado com a Al-Qaeda ou qualquer outra grande organização terrorista", afirmou o prefeito Michael Bloomberg. Kelly também rechaçou a versão de um comunicado do grupo paquistanês Tehreek-e-Taliban reivindicando o ataque.

Em uma visita a Louisiana, o presidente Barack Obama disse que os serviços de segurança dos EUA estão tomando "todos os passos necessários" para buscar os suspeitos.

Ainda não está clara a razão para o dispositivo não ter detonado, apesar de soltar fumaça após pegar fogo parcialmente, na traseira do Nissan. Segundo Kelly, havia no automóvel uma mistura de garrafas plásticas cheias de gasolina, junto com fogos de artifício, três tanques de propano, dois alarmes, fios e outros materiais.

A polícia depois disse que havia fertilizantes, que podem ser usados para fazer explosivos similares aos usados por Timothy McVeigh no atentado em Oklahoma, que matou 168 pessoas em abril de 1995.

 

Vendedor ambulante

O motor estava ligado e as luzes de emergência do veículo estavam acesas, quando o carro soltando fumaça atraiu a atenção de um vendedor ambulante nas proximidades. O vendedor, um veterano da Guerra do Vietnã, chamou a polícia, que veio com um esquadrão antibombas.

Funcionários qualificaram o incidente como terrorismo, mas há cautela sobre quem estaria por trás do ataque, em meio à especulação de que militantes dos próprios EUA seriam os responsáveis.

A secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano, disse que o FBI, a polícia da cidade e a força-tarefa antiterror do governo estavam investigando "um potencial ataque terrorista". As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUA atentado Times Square Obama terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.