OEA: Micheletti aceita renunciar ao governo de Honduras

O presidente de facto de Honduras, Roberto Micheletti, está disposto a renunciar à chefia do governo de unidade nacional que deve ser formado até hoje, conforme acordo assinado com o presidente deposto, Manuel Zelaya. A informação foi divulgada ontem à tarde pela Comissão de Verificação da Organização dos Estados Americanos (OEA), formada para fiscalizar o cumprimento do pacto hondurenho.

AE, Agencia Estado

05 Novembro 2009 | 07h46

"O senhor Micheletti deixou claro que está disposto a ficar de lado", disse, em entrevista coletiva, o ex-presidente chileno Ricardo Lagos, integrante da comissão junto com a secretária de Trabalho dos Estados Unidos, Hilda Solís, depois de se reunir com Micheletti. Ontem, porém, a informação não havia sido confirmada pela comissão negociadora do presidente de facto. No início do dia, aliados de Micheletti haviam afirmado que ele pretendia liderar o governo de unidade nacional até que o Congresso dê seu parecer sobre a restituição de Zelaya.

"A titularidade do Executivo seguiria sendo exercida pelo senhor Micheletti até que se decida o ponto 5 do acordo (referente ao retorno de Zelaya ao poder)", disse Vilma Morales, ex-presidente da Suprema Corte de Justiça de Honduras e chefe da comissão negociadora do governo de facto.

Sob supervisão da OEA, Zelaya e Micheletti deverão nomear um gabinete de transição responsável por governar Honduras até janeiro, quando o novo governo, eleito no dia 29, assumiria. O prazo para a formação do governo de união expira hoje. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.