1. Usuário
Assine o Estadão
assine


OMS diz que Ebola matou mais de 1.200 na África

Estadão Conteúdo

19 Agosto 2014 | 12h 25

Para conter a doença, alguns locais foram colocados sob quarentena e há restrições de viagem para os doentes e aqueles que entraram em contato com os infectados

Sia Kambou/AFP
Desde o início do surto, em dezembro, mais de 2.200 pessoas foram infectadas

O mais recente surto de Ebola na África ocidental matou mais de 1.200 pessoas desde seu início, em dezembro de 2013, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira. Mais de 2.200 pessoas foram contaminadas, segundo os últimos dados da agência da Organização das Nações Unidas (ONU).

Autoridades lutam para conter o surto, que teve início na Guiné e se espalhou pela Libéria, Serra Leoa e Nigéria. Alguns locais foram colocados sob quarentena e há restrições de viagem para os doentes e aqueles que entraram em contato com os infectados, o que algumas vezes inclui vilas e países inteiros, mas representantes de governos advertiram que as restrições algumas vezes prejudicam a entrega de alimentos.

O Programa de Alimentos da ONU informou que se prepara para entregar alimentos para 1 milhão de pessoas nos próximos três meses no oeste africano.

"Eu acho que agora há um alto nível de vigilância em todos os países", afirmou Fadela Chaib, porta-voz da OMS, aos jornalistas em Genebra. "Eu não consigo me lembrar da última vez em que tivemos de alimentar 1 milhão de pessoas numa situação de quarentena." Fonte: Associated Press.