OMS lança campanha para banir fumo em público

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançará, nesta quinta-feira, uma campanha mundial para banir o fumo em lugares públicos. A iniciativa faz parte das atividades da organização para marcar o dia internacional contra o cigarro, e o objetivo é convencer os governos a adotarem medidas para proibir o fumo nas áreas públicas. A preocupação é com os fumantes de segunda geração, ou seja, pessoas que estariam constantemente expostas ao fumo. "Temos que ser claros: o fumo passivo também mata", afirma a diretora da OMS, Gro Harlem Brundtland. Segundo estudos, a exposição ao fumo causa câncer e doenças cardíacas. Na avaliação da OMS, a única forma de combater isso é banindo o fumo em locais públicos. Brudtland ainda acusa as empresas de cigarro de tentar convencer governos e entidades de que ventilação é a solução para o problema. "Nem ar-condicionado e nem mesmo a separação de áreas de fumantes são suficientes. A melhor proteção é não estar exposto", afirma Brudtland. Mas a OMS reconhece que a tarefa não é fácil. Uma pesquisa na China mostrou que 52% da população está exposta ao fumo pelo menos 15 minutos por dia durante mais de um dia por semana. A OMS ainda estima que metade das crianças do mundo, cerca de 700 milhões, são fumantes de segunda geração. "O problema é que esse contato com fumantes causa asma e doenças respiratórias", explica a organização.

Agencia Estado,

30 Maio 2001 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.