ONU quer US$ 308 milhões contra a fome no sul da África

O Programa Mundial de Alimentação da ONU pediu US$ 308 milhões para alimentar 6,5 milhões de pessoas no sul da África ao longo de 2004, afirmando que as colheitas se recuperam da seca de 2002, mas que a fome causada pela epidemia de aids supera as expectativas. A ONU diz que dois terços dos alimentos são necessários no Zimbábue, que enfrenta séria crise política e econômica. Quase todo o restante deve se destinar a Moçambique, país atingido por uma série alternada de enchentes, ciclones e secas nos últimos quatro anos. O sul da África tem as maiores taxas de contaminação por HIV no mundo, o que leva a um aumento alarmante no número de famílias que dependem de crianças, idosos ou portadores de doenças crônicas para obter sustento. Há cerca de 11 milhões de órfãos da aids na África ao sul do Saara, e a cifra poderá chegar a 20 milhões até 2010.

Agencia Estado,

02 Julho 2003 | 19h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.