1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Opaq afirma ter retirado último lote de armas químicas da Síria

O Estado de S. Paulo

23 Junho 2014 | 10h 17

Agência diz que arsenal foi entregue a autoridades internacionais e deve ser destruído em quatro meses

HAIA - A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) afirmou nesta segunda-feira, 23, que terminou de retirar o arsenal químico sírio do país e o último lote foi entregue a autoridades internacionais.

"O último lote de armas químicas declarado para ser removido da Síria foi carregado no navio dinamarquês Ark Futura", informou o diretor da Opaq, Ahmet Uzumcu, em um comunicado divulgado em Haia.

Agora, o arsenal precisa ser destruído. Para isso, será levado até uma instalação a bordo do navio americano Cape Ray e para instalações comerciais na Finlândia, Alemanha, Grã-Bretanha e EUA, informou a Opaq.

A agência global para prevenção do uso de armas químicas, que monitora a destruição dos estoques de armas químicas da Síria, enviou equipes ao país no ano passado, após o presidente Bashar Assad assinar um acordo com a Rússia e os EUA para destruir o arsenal e se tornar um membro da Opaq.

O acordo com Assad ocorreu após os EUA ameaçarem realizar ataques com mísseis punitivos depois de um ataque com armas químicas em um subúrbio de Damasco.

A previsão da agência é que todo o arsenal seja destruído em quatro meses. "Nunca um arsenal inteiro de armar de destruição em massa foi removido de um país durante um conflito armado interno", afirmou o comunicado da Opaq.

Uzumcu afirmou que houve atrasos no processo de retirada e destruição do armamento sírio, mas que a cooperação de países e da ONU possibilitou a conclusão da primeira etapa. "A cooperação da Síria tem sido compatível com as exigências", acrescentou. / AP