1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Operação de Israel contra Gaza deixou 100 mortos em quatro dias

O Estado de S. Paulo

11 Julho 2014 | 08h 45

Ofensiva já atacou mais de mil pontos; nesta sexta, duas pessoas morreram no bombardeio a um campo de refugiados palestinos

Gaza 11/07
EFE/Abir Sultan

Após incêndio provocado por míssil israelense, dezenas de carros ficaram danificados em posto de gasolina atingido.

GAZA - Duas pessoas morreram nesta sexta-feira, 11, em um bombardeio israelense contra um veículo que circulava pelo campo de refugiados palestinos de Al-Bureij, no centro de Gaza, aumentando para 100 o número de palestinos mortos e para quase 700 o de feridos durante os quatro dias da ofensiva militar israelense operação Limite Protetor, informaram fontes médicas.

Entre as últimas vítimas que morreram nos ataques antes do amanhecer estão uma criança pequena e outra de sete anos, informou o Ministério da Saúde em Gaza. As milícias palestinas continuam lançando foguetes contra Israel.

O bombardeio israelense mais grave ocorreu contra uma casa da cidade de Rafah, ao sul de Gaza, onde cinco pessoas de uma família morreram. A ação, sem aviso prévio segundo os vizinhos, destruiu completamente o edifício e várias propriedades próximas.

Aviões e embarcações de guerra de Israel atacaram de madrugada cerca de 50 pontos na Faixa de Gaza, entre eles quatro casas. De acordo com organizações humanitárias, mais de 300 casas no local foram totalmente destruídas ou severamente danificadas e mais de 2 mil pessoas precisaram deixar suas residências.

O Exército israelense informou em comunicado que nas últimas 24 horas atacou aproximadamente 210 lugares como plataformas de lançamento de foguetes de longo alcance, instalações do Hamas, túneis para o contrabando de armamento ou complexos onde grupos armados são treinados.

Desde o início da operação Limite Protetor, no dia 8, Israel diz ter atacado 1.090 alvos por mar e ar. /EFE