Oposição denuncia irregularidades em eleição na Ucrânia

Ucranianos foram hoje às urnas para uma eleição presidencial que tem o potencial de produzir inquietação pelo país. Poucas horas após a abertura da votação, a oposição queixava-se de violações da lei eleitoral nesta ex-república soviética. A eleição deste Domingo é vista como importante para testar a democracia no país de 48 milhões de habitantes e indicar qual o caminho preferido pelos ucranianos, entre laços mais estreitos com a Rússia ou com a Europa ocidental. Países do ocidente fizeram diversos apelos para que o pleito seja justo e limpo, e os EUA levantaram a possibilidade de punir o país em caso de irregularidades. Os principais candidatos são o atual primeiro-ministro Viktor Yanukovych, que tem o apoio do presidente atual e deverá preferir relações mais estreitas com a Rússia, e o ex-premier Viktor Yushchenko, um reformista interessado em aproximar a Ucrânia da Europa ocidental. Após a abertura das seções eleitorais, aliados de Yushchenko acusaram violações da lei eleitoral, incluindo a expulsão de fiscais da oposição de locais de votação. Antes do início do pleito, a oposição já havia se queixado de intimidação e manifestado o medo de fraude.

Agencia Estado,

31 Outubro 2004 | 13h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.