UN Photo/Yould
UN Photo/Yould

Organização das Nações Unidas completa 70 anos

Veja a história da entidade criada com o objetivo de promover a paz e segurança no mundo, além de trabalhar para melhorar a vida das pessoas que vivem em condições de pobreza

O Estado de S. Paulo

23 Outubro 2015 | 07h00

No próximo sábado, dia 24 de outubro, a Organização das Nações Unidas (ONU) completará 70 anos. Para celebrar a data, cerca de 200 monumentos, prédios e museus icônicos em 60 países serão iluminados de azul, cor oficial da entidade. Segundo a própria ONU, o prédio Empire State, em Nova York, as Pirâmides de Gizé, no Egito, o Castelo de Edimburgo, na Grã-Bretanha, e a estátua do Cristo Rendentor, no Rio de Janeiro, são alguns marcos que participarão da campanha. 

A criação da entidade foi um processo longo e trabalhoso. No começo da década de 40, o mundo vivia a Segunda Guerra Mundial, e Aliados (Grã-Bretanha, França, EUA, China e a então União Soviética) e Potências do Eixo (Alemanha, Japão e Itália) lutavam para ver quem sairia vitorioso do conflito.

No dia 1 de janeiro de 1942, representantes dos 26 países que estavam na guerra contra as Potências do Eixo se reuniram em Washington para assinar a Declaração das Nações Unidas. A partir dela, os países se comprometiam a utilizar todos os seus recursos contra os inimigos em comum, além de concordarem em não estabelecer um estado de paz isolado. Era a primeira vez que se utilizava o termo Nações Unidas, nome dado pelo ex-presidente americano Franklin D. Roosevelt.

Um ano depois, na Conferência de Moscou, o então secretário de Estado dos EUA, Cordell Hull, e o secretário das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, Anthony Eden, reconheceram a necessidade de criar uma organização internacional pós-guerra, “com base nos princípios da igualdade soberana” entre as nações, e visando manter a paz e a segurança.

O primeiro esboço da ONU foi preparado na Conferência de Dubarton Oaks, em Washington. Durante duas rodadas de encontros, EUA, Grã-Bretanha, União Soviética e China concordaram nos pontos relacionados aos objetivos, estrutura e papéis e responsabilidades dos países, método de voto e uso das Forças Armadas a serviço da paz.

Nesse encontro, foram estabelecidos os quatro pilares que constituiriam a entidade: Assembleia Geral, Conselho de Segurança, Tribunal Internacional de Justiça e Secretariado.

Na Conferência de Yalta, em fevereiro de 1945, Roosevelt se encontrou com o primeiro-ministro soviético Josef Stalin e outros ministros para estabelecer como seriam os procedimentos de votação no Conselho de Segurança.

No dia 25 de abril de 1945, representantes de 50 países se encontraram em San Francisco para a Conferência das Nações Unidas sobre Organização Internacional, onde começaram a preparar a Carta das Nações Unidas. O documento reflete a base das propostas elaboradas pelos representantes da China, União Soviética, Grã-Bretanha e EUA. Após a morte do presidente Roosevelt, Harry Truman deu continuidade ao seu trabalho e disse que a Carta só daria certo se as pessoas estivessem determinadas a fazê-la funcionar.

Mesmo com a assinatura do documento, a ONU ainda não existia de fato. A Carta precisava ser aprovada pelos Congressos e Parlamentos das nações. Roosevelt, por exemplo, havia tentado convencer os americanos que a Organização seria o melhor modo de prevenir conflitos futuros. O Senado americano aprovou o documento por 89 votos a 2.

A ONU passou a existir oficialmente em 24 de outubro de 1945, após as nações ratificarem a Carta das Nações Unidas, criada para acabar com a guerra e promover a paz e a justiça no mundo.

Mais conteúdo sobre:
ONU paz história guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.