Organização Islâmica condena terror e retaliação

O emir xeque Hamad bin Khalifa Al Thani, que preside a conferência de emergência da Organização Islâmica, condenou os ataques terroristas contra os EUA de 11 de setembro, mas também a retaliação norte-americana no Afeganistão. A retaliação "não deveria estender-se a outros, mas aos responsáveis pelos ataques. Para isso, devem haver evidências conclusivas contra os culpados", afirmou. O emir disse ainda que o diálogo era a melhor maneira para resolver o conflito. "O mundo islâmico foi o primeiro a chamar para o diálogo entre as civilizações... ao invés de entrar em conflito de facções e de dicotomias baseadas no princípio de que "se você não está ao meu lado, está contra mim", disse o xeque Al Thani. Ele pediu também pela distinção entre o terrorismo e as pessoas com o "legítimo direito de defender sua liberdade e auto-determinação". Leia o especial

Agencia Estado,

10 Outubro 2001 | 09h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.