1. Usuário
Assine o Estadão
assine

OSCE pede libertação imediata de monitores na Ucrânia

AE - Agência Estado

10 Junho 2014 | 15h 53

O presidente da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), Didier Burkhalter, pediu nesta terça-feira a libertação imediata dos oito monitores internacionais da entidade que foram sequestrados no final de maio por rebeldes separatistas no leste da Ucrânia, dizendo que a detenção deles é "inaceitável".

Falando em uma conferência da OSCE em Berna, Burkhalter disse que a manutenção dos monitores no conflito fazem parte dos esforços da organização para a diminuição das tensões na Ucrânia. "Os monitores são os olhos e ouvidos da comunidade internacional", disse o presidente da OSCE. "A detenção desses oito monitores é inaceitável".

A OSCE não conseguiu restabelecer a comunicação com um grupo de quatro monitores que trabalhavam na região insurgente de Donetsk em 26 de maio. Três dias mais tarde, a organização perdeu contato também com outros quatro monitores que estavam na região de Luhansk.

Burkhalter disse também que enviou o experiente diplomata da Suíça Heidi Tagliavini para Kiev para mediar o diálogo entre os grupos separatistas e as missões diplomáticas de Ucrânia e Rússia.

O presidente da OSCE informou também que já foram identificados os grupos responsáveis pela detenção dos observadores e que já há contato com eles. "Nós temos algum contato, mas não o suficiente", disse Burkhalter, que também é presidente da Suíça. Fonte: Dow Jones Newswires.