1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Kerry anuncia acordo para trégua na Síria

- Atualizado: 12 Fevereiro 2016 | 00h 01

Segundo secretário de Estado, a comunidade internacional concordou com um "ambicioso" objetivo de conseguir o cessar da violência na Síria em uma semana

MUNIQUE, ALEMANHA - O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, anunciou nesta quinta-feira à noite um acordo internacional, que inclui a Rússia, para "acelerar e ampliar" de maneira imediata a entrega de ajuda humanitária à população civil na Síria com um "ambicioso" objetivo de conseguir o cessar da violência na Síria em uma semana.

Kerry fez estas declarações em entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, e o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, após o encontro em Munique (sul da Alemanha) do Grupo Internacional de Apoio à Síria.

O secretário de Estado ressaltou que este acordo será implementado ainda nesta semana e começará a ser aplicado nas áreas mais afetadas, as rurais, as remotas e as sitiadas, entre elas a cidade de Madaya, mas que acabará sendo colocado em prática em todas as regiões do país.

O secretário de Estado americano ressaltou que só se poderá conseguir uma trégua duradoura na Síria e a melhora da ajuda humanitária à população civil se todas as partes envolvidas nas negociações trabalharem com a Rússia. 

Kerry e Lavrov anunciam em Munique acordo para tentar obter o cessar-fogo na Síria

Kerry e Lavrov anunciam em Munique acordo para tentar obter o cessar-fogo na Síria

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) enviará patrulhas navais ao Mar Egeu para ajudar a conter o tráfico de pessoas e resgatar refugiados que chegam à Grécia. A resolução foi anunciada nesta quinta-feira, em Bruxelas, após reunião entre os ministros de Defesa dos países-membros, que aceitaram pedido de ajuda de Alemanha, Turquia e Grécia.

Segundo o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, o foco da missão não será “barrar ou mandar de volta os barcos de refugiados”, mas ajudar com inteligência e vigilância para conter o tráfico humano na região. “A decisão foi tomada para ajudar Turquia e Grécia a administrar a tragédia humana de uma forma melhor do que o que já foi feito até agora”, disse.

Sob comando da Alemanha, a frota multinacional da Otan atuará no Mar Egeu em parceria com as guardas costeiras da Grécia e da Turquia. Antes da reunião, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, disse que combater os “cartéis” que exploram o tráfico humano teria um enorme impacto humanitário.

Guerra. O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, advertiu, em entrevista à revista alemã Handelsblatt, que será publicada nesta sexta-feira, que uma ofensiva terrestre estrangeira na Síria corre o risco de desencadear uma “guerra mundial”. “As ofensivas terrestres geralmente levam a uma guerra permanente”, afirmou.

“Os americanos e seus aliados árabes devem pensar muito bem: querem uma guerra permanente, pensam que a podem ganhar rapidamente? Uma escolha desta ordem é impossível, especialmente no mundo árabe.”

Recentemente, a Arábia Saudita sugeriu a ideia de enviar tropas terrestres para a Síria como parte de uma aliança internacional, liderada pelos EUA, contra o Estado Islâmico. Washington disse ver “com bons olhos” a proposta.Segundo o chanceler russo, Serguei Lavrov, Moscou entregou uma proposta de cessar-fogo na Síria para os EUA. / REUTERS, EFE e AP

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX