Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Kerry anuncia acordo para trégua na Síria

Internacional

AFP / Christof Stache

Kerry anuncia acordo para trégua na Síria

Segundo secretário de Estado, a comunidade internacional concordou com um "ambicioso" objetivo de conseguir o cessar da violência na Síria em uma semana

0

O Estado de S. Paulo

11 Fevereiro 2016 | 20h21

MUNIQUE, ALEMANHA - O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, anunciou nesta quinta-feira à noite um acordo internacional, que inclui a Rússia, para "acelerar e ampliar" de maneira imediata a entrega de ajuda humanitária à população civil na Síria com um "ambicioso" objetivo de conseguir o cessar da violência na Síria em uma semana.

Kerry fez estas declarações em entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores russo, Serguei Lavrov, e o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, após o encontro em Munique (sul da Alemanha) do Grupo Internacional de Apoio à Síria.

O secretário de Estado ressaltou que este acordo será implementado ainda nesta semana e começará a ser aplicado nas áreas mais afetadas, as rurais, as remotas e as sitiadas, entre elas a cidade de Madaya, mas que acabará sendo colocado em prática em todas as regiões do país.

O secretário de Estado americano ressaltou que só se poderá conseguir uma trégua duradoura na Síria e a melhora da ajuda humanitária à população civil se todas as partes envolvidas nas negociações trabalharem com a Rússia. 

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) enviará patrulhas navais ao Mar Egeu para ajudar a conter o tráfico de pessoas e resgatar refugiados que chegam à Grécia. A resolução foi anunciada nesta quinta-feira, em Bruxelas, após reunião entre os ministros de Defesa dos países-membros, que aceitaram pedido de ajuda de Alemanha, Turquia e Grécia.

Segundo o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, o foco da missão não será “barrar ou mandar de volta os barcos de refugiados”, mas ajudar com inteligência e vigilância para conter o tráfico humano na região. “A decisão foi tomada para ajudar Turquia e Grécia a administrar a tragédia humana de uma forma melhor do que o que já foi feito até agora”, disse.

Sob comando da Alemanha, a frota multinacional da Otan atuará no Mar Egeu em parceria com as guardas costeiras da Grécia e da Turquia. Antes da reunião, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, disse que combater os “cartéis” que exploram o tráfico humano teria um enorme impacto humanitário.

Guerra. O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, advertiu, em entrevista à revista alemã Handelsblatt, que será publicada nesta sexta-feira, que uma ofensiva terrestre estrangeira na Síria corre o risco de desencadear uma “guerra mundial”. “As ofensivas terrestres geralmente levam a uma guerra permanente”, afirmou.

“Os americanos e seus aliados árabes devem pensar muito bem: querem uma guerra permanente, pensam que a podem ganhar rapidamente? Uma escolha desta ordem é impossível, especialmente no mundo árabe.”

Recentemente, a Arábia Saudita sugeriu a ideia de enviar tropas terrestres para a Síria como parte de uma aliança internacional, liderada pelos EUA, contra o Estado Islâmico. Washington disse ver “com bons olhos” a proposta.Segundo o chanceler russo, Serguei Lavrov, Moscou entregou uma proposta de cessar-fogo na Síria para os EUA. / REUTERS, EFE e AP

Mais conteúdo sobre:

Comentários