Países do TNP pedem a Israel que firme tratado

Os 189 países signatários do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) chegaram a um acordo ontem para reforçar o pacto após quase um mês de negociações na ONU, em Nova York. Os EUA cederam às pressões dos países árabes para que o texto incluísse um trecho pedindo a Israel que assine o tratado internacional.

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2010 | 00h00

Ficou definido ainda que será organizada, em 2012, uma conferência para criar uma zona livre de armas nucleares no Oriente Médio. Os EUA e as outras quatro grandes potências nucleares ? França, Rússia, Grã-Bretanha e China ? também se comprometeram em acelerar a redução de seus arsenais atômicos. Em 2014, estes países deverão informar a ONU sobre os progressos no desarmamento.

O Irã, apesar da pressão dos EUA, não foi citado no texto final, diferentemente dos israelenses. Teerã é acusado de ter um programa clandestino de armas nucleares. Os iranianos negam.

Os israelenses, que nunca assinaram o TNP e, por este motivo, ficaram de fora da conferência, não confirmam nem negam possuir armas nucleares, apesar de especialistas afirmarem que Israel possui armas atômicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.