/ AFP PHOTO / AHMAD GHARABLI
/ AFP PHOTO / AHMAD GHARABLI

Palestino fere policial israelense em ataque a faca

No total, soldados israelenses balearam e feriram mais de 40 palestinos em Gaza e na Cisjordânia ocupada nesta sexta-feira

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2017 | 14h24

JERUSALÉM - Equipado com um dispositivo que parecia ser um cinturão de explosivos, um palestino atacou policiais israelenses na saída de Ramallah, na Cisjordânia ocupada. Forças de segurança reagiram e ele foi ferido e preso.

+ Israel fecha fronteira com Gaza após disparos de foguetes palestinos

O porta-voz da Polícia, Micky Rosenfeld, informou que um palestino apunhalou um policial israelense durante uma manifestação contra a decisão do presidente americano, Donald Trump. O policial ficou ligeiramente ferido no ombro e foi levado para o hospital, afirmou o porta-voz.

Em um vídeo divulgado online, o palestino aparece erguendo algo similar a uma faca diante dos policiais israelenses. Depois de um breve e tenso embate, os policiais abrem fogo várias vezes. Os paramédicos palestinos intervêm e levam o palestino para seu veículo.

+ Jerusalém Oriental é capital palestina, declaram países islâmicos

No total, soldados israelenses balearam e feriram mais de 40 palestinos em Gaza e na Cisjordânia ocupada nesta sexta-feira, disseram autoridades médicas, à medida que protestos contra a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como capital de Israel entram na segunda semana.

Autoridades médicas disseram que mais três palestinos foram baleados e feridos na Cisjordânia. Outros 38 foram feridos na fronteira da Faixa de Gaza, onde o grupo dominante Hamas tem convocado uma revolta contra Israel em protesto contra a decisão de Trump.

+Autoridades de Gaza dizem que dois palestinos morreram em ataque de Israel, que nega a ação

O Exército israelense disse que cerca de 2,5 mil palestinos participaram protestos na Cisjordânia, colocando fogo em pneus, e jogando bombas e pedras contra soldados e contra a polícia de fronteira. Soldados tomaram medidas para dispersar os tumultos, disse em comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.