Palestino realiza ataque e deixa 5 feridos no leste de Jerusalém

Um palestino jogou o carro que dirigia contra um grupo de pedestres israelenses nas proximidades de uma delegacia de polícia no leste de Jerusalém nesta sexta-feira, ferindo quatro policiais e uma pessoa que estava no local. A seguir, o homem atacou guardas de segurança com uma faca, até ser ferido a tiros.

Estadão Conteúdo

06 Março 2015 | 08h54

A porta-voz da polícia, Luba Samri, descreveu o episódio como um "ataque terrorista".

Segundo Samri, o homem agiu nas proximidades de uma delegacia da polícia paramilitar de fronteira, atingindo primeiro três policiais femininas, deixando-as levemente feridas. Ele então continuou, atingindo outra policial e um homem israelense. Uma policial de fronteira e um guarda de segurança dispararam contra o veículo na entrada de delegacia, acrescentou a porta-voz.

O palestino saiu então do carro e tentou atacar os guardas com uma faca de açougueiro, disse Samri. Os guardas dispararam e feriram gravemente o motorista, que foi levado ao hospital.

O ataque aconteceu no mesmo cruzamento em que um palestino jogou seu carro contra uma movimentada plataforma de trem em novembro e a seguir atacou as pessoas com uma barra de ferro, matando uma pessoa e ferindo 13.

A polícia identificou o homem que realizou o ataque nesta sexta-feira como um palestino do leste de Jerusalém, na casa dos vinte anos. Segundo a polícia é muito difícil prever esses ataques, já que são realizados por "lobos solitários" e não por organizações militantes.

"A rápida e determinada resposta interrompeu o ataque no início e evitou que mais inocentes fossem feridos", disse Moshe Edri, comandante regional de polícia.

A polícia paramilitar de fronteira israelense patrulha áreas entre Jerusalém Ocidental, predominantemente judaica, e Jerusalém Oriental, onde a maioria dos moradores é árabe.

A polícia isolou a área rapidamente. A frente do carro ficou amassada e o para-brisa rachou. A televisão israelense mostrou imagens do palestino ferido deitado no chão antes de ser levado para o hospital.

O ataque aconteceu quando os judeus celebram a festa de Purim, uma espécie de carnaval. A polícia disse que vai intensificar a segurança em toda a cidade e o prefeito de Jerusalém, Nir Barkat, disse que as celebrações continuarão como planejado.

"Não vamos permitir que o terror prejudique nossa rotina diária e vamos lutar contra ele sem comprometer nosso dia a dia", declarou Barkat. "Eu convido todos os moradores do país para celebrarem Purim em Jerusalém." Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israel ataque palestinos carro Jerusalém

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.