Palestinos ignoram trégua israelense

Palestinos ignoraram o anúncio de trégua unilateral feito por Israel e abriram fogo contra postos do exército israelense na Faixa de Gaza. Para os árabes, a trégua é um truque e a calma na região só pode ser conquistada depois que Israel suspender a instalação de novos assentamentos e permitir que os palestinos entrem em seu território. Ontem, o primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, pediu um cessar-fogo aos palestinos, parte de sua resposta ao relatório de uma comissão internacional que fez recomendações para se conseguir o fim de quase oito meses de confrontos. Numa entrevista coletiva televisionada, Sharon declarou: "Peço hoje por um trégua total na área, e digo novamente que se os palestinos aceitarem esta proposta de cessar fogo, nós iremos imediatamente parar o fogo." Após o pedido de Sharon, o ministro israelense da Defesa, Binyamin Ben-Eliezer, ordenou que os soldados israelenses parassem de atirar, exceto em situações nas quais "a vida estiver em perigo". Uma alta autoridade palestina, Ahmed Abdel Rahman, entretanto, respondeu: "Rejeitamos tudo o que Sharon disse sobre um cessar-fogo." Rahman, assessor do líder palestino Yasser Arafat, afirmou à Associated Press que o agressor é Israel.

Agencia Estado,

23 Maio 2001 | 07h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.