AFP PHOTO / Brendan Smialowski
AFP PHOTO / Brendan Smialowski

Papa elogia desfile conjunto das delegações de Pyongyang e Seul na abertura dos Jogos de Inverno

‘Isso nos dá esperança de um mundo melhor no qual os conflitos são resolvidos pacificamente por meio do diálogo e do respeito mútuo’, disse Francisco; presidente do COI ressaltou que ato será ‘o momento’ da cerimônia

O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2018 | 14h53

CIDADE DO VATICANO - O papa Francisco elogiou nesta quarta-feira, 7, o desfile conjunto das delegações das duas Coreias previsto para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang, um gesto que "dá esperança de um mundo melhor no qual os conflitos sejam resolvidos pacificamente".

+ Irmã de Kim Jong-un visitará Coreia do Sul durante Jogos de Inverno

"A tradicional trégua olímpica adquire esse ano uma importância especial: as delegações das duas Coreias desfilarão sob uma única bandeira e competirão como uma única equipe", disse o pontífice durante sua audiência semanal no Vaticano.

+ Vice-presidente dos EUA vai aos Jogos de Inverno com mensagem dura para Coreia do Norte

"Isso nos dá esperança de um mundo melhor no qual os conflitos são resolvidos pacificamente por meio do diálogo e do respeito mútuo, que é o que também ensina o esporte", acrescentou Francisco.

Ele enviou saudações ao Comitê Olímpico Internacional (COI), aos atletas que participarão dos Jogos e às "autoridades e povo da península coreana".

Os atletas da Coreia do Norte vão desfilar na sexta-feira juntamente com os da Coreia do Sul na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pyeongchang de 2018. Um total de 22 atletas norte-coreanos participarão do evento, a maioria deles na equipe unificada de hóquei no gelo feminino.

A decisão de Pyongyang de participar deste evento, que se realizará a apenas 80 km da fronteira entre os dois países, simboliza os "Jogos de Paz" desejados por Seul, após meses de crescente tensão entre eles, que ainda estão oficialmente em guerra.

Comitê

O presidente do COI, o alemão Thomas Bach, antecipou que, acima do espetáculo artístico, o desfile conjunto das duas Coreias será "o momento" da cerimônia de abertura da Olimpíada.

"Espero uma grande festa. Não sei mais detalhes e, se soubesse, não poderia revelá-los. Mas o desfile conjunto será 'o momento'. Será o mais emocionante", afirmou Bach em uma entrevista coletiva ao fim da sessão do COI na cidade sul-coreana.

"Já foi batido um recorde olímpico", comemorou Bach ao se referir aos seis novos países que estrearão em Pyeongchang, "graças aos programas de desenvolvimento de solidariedade olímpica". A lista de novos participantes é composta por Equador, Eritreia, Kosovo, Malásia, Nigéria e Cingapura.

O presidente do COI também se mostrou muito contente pela decisão tomada na assembleia olímpica de escolher um país africano para receber os Jogos da Juventude de 2022. "Já temos sede para os Jogos Olímpicos de 2024 (Paris) e 2028 (Los Angeles), e não queríamos que a África tivesse de esperar até 2032 ou 2036 para ter os seus", explicou o dirigente alemão.

A África é o único continente que nunca organizou a Olimpíada. Senegal é o país com mais chances de sediar os Jogos da Juventude em 2022, após ter apresentado ao COI uma oferta que a entidade considerou satisfatória. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.