Assine o Estadão
assine

Internacional

Pena de Morte

Papa pede proibição mundial à pena de morte

O líder religioso afirmou que o mandamento 'não matarás' é válido tanto para os culpados quanto para os inocentes

0

O Estado de S. Paulo

21 Fevereiro 2016 | 13h26

O papa Francisco pediu neste domingo, 21, que a pena de morte seja proibida mundialmente. O líder religioso afirmou que o mandamento "não matarás" é válido tanto para os culpados quanto para os inocentes.

Falando a milhares de pessoas reunidas na praça São Pedro, o papa também pediu para os católicos trabalharem para a interrupção de qualquer execução durante o jubileu da misericórdia, que se encerra em novembro. Na segunda-feira, 22, acontecerá em Roma a conferência internacional “Por um mundo sem pena de morte”, promovida pela Comunidade de Santo Egídio.

Francisco destacou que a opinião pública tem, gradativamente, se oposto à pena de morte. Para ele, as sociedades modernas têm a capacidade de lidar com o crime sem excluir do criminoso uma ‘chance’ de se redimir.

"Um problema deve ser visto no contexto de um sistema de justiça penal cada vez mais em linha com a dignidade humana e ao plano de Deus para o homem e a sociedade. O mandamento "não matarás" tem um valor absoluto e abrange tanto os inocentes como o culpado", declarou.

Em seu discruso, o papa apelou aos governantes - em particular, aos católicos - para um consenso internacional sobre a abolição da pena de morte.  

"Mesmo o criminoso mantém o direito inviolável à vida, dom de Deus. Faço um apelo à consciência dos governantes, de modo que se possa alcançar um consenso internacional para a abolição da pena de morte. E proponho àqueles que de entre esses sejam católicos a cumprirem um gesto corajoso e exemplar: que nenhuma sentença seja executada neste Ano Santo da Misericórdia."

Mais conteúdo sobre:

Comentários