EFE|HANIFULLAH KHAN
EFE|HANIFULLAH KHAN

Paquistão começa a levar ajuda para regiões mais atingidas por terremoto

Equipamento médicos, cobertores e isolantes térmicos foram enviados de helicóptero para a Província de Khyber Pakhtunkhwa, na fronteira com o Afeganistão, disse porta-voz do governo

O Estado de S. Paulo

27 Outubro 2015 | 11h33

ISLAMABAD - A ajuda de emergência começou a chegar nesta terça-feira, 27, a algumas das áreas mais atingidas no Paquistão pelo terremoto registrado na segunda-feira na região montanhosa de Hindu Kush, no nordeste do Afeganistão.

"Equipamentos médicos e de resgate já chegaram a algumas das áreas atingidas, mas há outros muitos locais aos quais não foi possível o acesso devido às dificuldades do terreno", explicou o porta-voz da Autoridade Nacional de Gestão de Desastres (NDMA, sigla em inglês) do Paquistão, Ahmed Kamal.

Segundo Kamal, o governo enviou um helicóptero, um hospital móvel, 2 mil cobertores e o mesmo número de tendas de campanha e de isolantes térmicos para a Província de Khyber Pakhtunkhwa, que faz fronteira com o Afeganistão e foi o local mais atingido pelo terremoto em território paquistanês. O porta-voz explicou que essa província concentra o maior número de mortos e feridos.

Nas Áreas Tribais de Administração Federal (Fata, sigla em inglês), a segunda região mais atingida pelo terremoto no Paquistão e que também faz fronteira com o Afeganistão, 32 pessoas morreram e 90 ficaram feridas.

Em outras partes do país menos afetadas pelo tremor também houve vítimas, como em Gilgit, com 9 mortos e 30 feridos; no Punjab, com 5 mortos e 67 feridos, e na Caxemira paquistanesa, com 1 morto e 9 feridos.

Além disso, o número de casas que acabaram destruídas ou seriamente danificadas chega a 3.060, sendo a província de Khyber Pakhtunkhwa a área mais atingida com 2.097, seguida das áreas tribais com 737.

O epicentro do terremoto foi registrado na região montanhosa de Hindu Kush, que faz parte da cordilheira do Himalaia e está localizada nos territórios de Afeganistão e Paquistão, um local pouco habitado.

Apesar da distância do epicentro do terremoto, os tremores foram sentidos até em Nova Délhi, a capital da Índia.

Este terremoto é o de maior intensidade na região do Himalaia, uma área de alta atividade sísmica, desde abril, quando um tremor de magnitude 7,8 sacudiu o Nepal e deixou aproximadamente 9 mil mortos. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Paquistão Afeganistão Terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.