Paralisação de aeroportuários atrasa voos no Chile

Por melhores planos de aposentadoria, cerca de 2 mil funcionários do setor aeroportuário do Chile fazem hoje uma paralisação nacional. O protesto atrasa voos em todo o país. "Essa greve não é contra os usuários das companhias, mas contra as autoridades que bateram a porta em nossas caras", disse o diretor-geral da associação de trabalhadores da Aviação Civil, Jorge Pérez.

AE, Agencia Estado

20 Novembro 2009 | 13h02

A ação começou às 7 horas (6 horas de Brasília) e deve ser encerrada às 14 horas (13 horas de Brasília). Foram afetados os serviços aéreos, as operações em solo, os serviços meteorológicos e também a segurança dos aeroportos. Havia longas filas no aeroporto de Santiago, o maior do país, onde centenas de passageiros esperavam para embarcar.

Um total de 2.147 trabalhadores se envolveram na paralisação pois suas aposentadorias são calculadas a partir da metade, e não de todo o salário deles dos últimos 25 anos, de acordo com Pérez. "Nós somos excelentes trabalhadores, mas sofremos com condições precárias", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.