AFP PHOTO / PRU
AFP PHOTO / PRU

Parlamento britânico aprova proposta para antecipar eleições legislativas

522 deputados votaram a favor do pedido para realizar uma nova votação no dia 8 de junho; Theresa May precisava do apoio de pelo menos dois terços dos 650 parlamentares

O Estado de S.Paulo

19 Abril 2017 | 10h00
Atualizado 19 Abril 2017 | 11h17

LONDRES - O Parlamento britânico aprovou nesta quarta-feira, 19, a antecipação das eleições legislativas. O pedido havia sido solicitado pela primeira-ministra Theresa May, que pretende reforçar sua posição para as negociações de saída do país da União Europeia (UE).

Ela precisava do apoio de pelo menos dois terços dos 650 deputados e conseguiu superar a meta com folga: 522 aprovaram a antecipação das eleições, originalmente previstas para 2020. Apenas 13 votaram contra a proposta.

"Acredito que fortalecerá nossa mão nas negociações", disse May em uma entrevista à rádio BBC, durante a qual anunciou que não participará de nenhum debate na TV durante a campanha.

"Tomei esta decisão porque acredito genuinamente no interesse nacional", disse a premiê. "Se vocês olharem o cronograma, caso a eleição fosse realizada em 2020 estaríamos nos aproximando da parte mais crucial das negociações, do final das negociações, no que estaria começando a ser a véspera de uma eleição geral."

"Os partidos da oposição em Westminster tentavam (...) frustrar o processo do Brexit", completou May, cujo partido tem uma maioria absoluta por pequena margem na Câmara dos Comuns (330 dos 650 deputados) e corria risco a cada votação, pelo numeroso grupo de deputados pró-europeus entre os conservadores.

Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista, o principal da oposição, já havia anunciado que era favorável à antecipação das eleições. Mas sua impopularidade pode resultar em uma catástrofe eleitoral histórica para os trabalhistas. De acordo com as pesquisas, os conservadores têm 20 pontos de vantagem sobre os trabalhistas e May quer aproveitar as eleições para ampliar sua maioria.

De acordo com uma pesquisa publicada pelo jornal The Times, os conservadores poderiam ampliar sua vantagem a mais de 100 deputados. 

May notificou a UE formalmente sobre a intenção de seu país deixar o bloco em 29 de março, iniciando um período de negociação de dois anos para acertar os termos da separação e um novo relacionamento comercial, e disse ter confiança em firmar um acordo neste período. / AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.