REUTERS/Morteza Nikoubazl
REUTERS/Morteza Nikoubazl

Parlamento do Irã abole pena de morte para traficantes

Em outubro, o ministro da Justiça Mostafa Pourmohammadi já havia apresentado um estudo para reduzir o número de enforcamentos por tráfico de drogas no país

O Estado de S. Paulo

23 Abril 2017 | 21h11

TEERÃ - O Parlamento do Irã aboliu neste domingo, 23, a aplicação da pena de morte para produtores, distribuidores e revendedores de drogas.       

A informação foi publicada pela agência estatal Irna, que cita o deputado Hassan Norouzi, porta-voz da Comissão de Justiça do Congresso. Segundo a Irna, a sentença máxima para traficantes de drogas passa a ser a de prisão perpétua.       

"A pena capital foi abolida para aqueles que produzem, distribuem, tratam ou importam drogas narcóticas, desde que não tenham usado armas brancas ou de fogo", disse Norouzi.       

Em outubro, o ministro da Justiça Mostafa Pourmohammadi já havia apresentado um estudo para reduzir o número de enforcamentos por tráfico de drogas no país, principalmente porque as execuções não foram capazes de dissuadir criminosos.     

A quantidade de penas de morte aplicadas para punir o narcotráfico cresceu de 743 em 2014 para 977 em 2015, de acordo com dados da ONG Anistia Internacional. No entanto, a sentença capital continua um dos pilares da lei islâmica adotada no Irã, incluindo em casos de assassinato, estupro, terrorismo ou adultério. / Ansa 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.