Partido de Vicente Fox deve perder eleição em estado importante

Os dois principais partidos do México, o Partido Ação Nacional (PAN), do presidente Vicente Fox, e o Partido Revolucionário Institucional (PRI), competiam hoje pelo governo de seis Estados do país. Essa é a primeira eleição federal desde que Fox teve uma vitória histórica em 2000, quando sua eleição com 42,5% dos votos pôs fim a sete décadas ininterruptas de governo do PRI. Além de participar da eleição para escolha de governo de seis estados, os mexicanos também votaram para renovar 500 cadeiras da Câmara dos Deputados e eleger 456 prefeitos e representantes para outros cargos locais. Pesquisas preliminares indicavam que o candidato do PAN, Mauricio Fernández,perderia para seu adversário do PRI, Natividad González, o controle de 6 anos de Nuevo León, estado rico e industrializado que é vizinho ao Texas, nos EUA. Em Nuevo León, vivem somente 4% da população do México, mas o Estado atrai um décimo de todas as inversões estrangeiras que chegam ao país. Apesar disso, há sinais de que o partido de Fox conseguirá vitórias em Sonora e também no Estado de San Luis Potosí, no centro do país. Atualmente, dos seis estados em disputa, quatro são administrados pelo PRI. Em relação às eleições para a Câmara dos Deputados, pesquisas indicam que nem o PRI, com maioria relativa na Câmara, nem o PAN conseguirão obter os votos necessários para a maioria absoluta da Casa. Como o partido do governo não tem maioria, muitos de seus projetos, entre os quais se destacam os da reforma trabalhista e da reforma de energia, estão parados no Congresso. Nas eleições de hoje foram registrados pequenos incidentes. Em comunidades do estado de Chiapas, mais de 200 indígenas simpatizantes do Exército Zapatista de Libertação Nacional destruíram urnas, queimaram cédulas eleitorais e ameaçaram jornalistas. No povoado de San Salvador Atenco, a 10 km a leste da Cidade do México, capital do país, as eleições foram suspensas em 21 das 36 seções eleitorais. A suspensão ocorreu devido ao protesto de camponeses contra o fato de as autoridades não terem anulado processos judiciais contra vários lavradores. O conselheiro do Instituto Eleitoral, Mauricio Merino, disse que "a jornada eleitoral evoluía positivamente em todo o país, apesar dos focos de tensão em Atenco e Chiapas". Autoridades na Cidade do México usaram hoje 120 urnas eletrônicas fornecidas pelo Brasil como experimento para as eleições de 2006.

Agencia Estado,

06 Julho 2003 | 18h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.