Partido Democrático perde vagas no Senado japonês

O Partido Democrático do Japão (PDJ) perdeu vagas nas eleições deste domingo para o Senado, de acordo com pesquisas da imprensa local, marcando um revés para o partido que está há 10 meses no poder.

AE-AP, Agência Estado

11 Julho 2010 | 10h11

A emissora de TV japonesa NHK afirmou que o PDJ conquistou menos de 50 das 121 cadeiras em disputa (metade do total do Senado), número inferior as 54 vagas que possuía antes da eleição. Outros canais de TV disseram que o Partido Democrático japonês tinha conseguido entre 47 e 48 cadeiras.

As projeções dos resultados sinalizam que o partido do primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, perderá a maioria de 112 cadeiras que possui com a coalizão que hoje reúne o PDJ e o pequeno Novo Partido Popular.

Os dados oficiais do pleito são esperados apenas para a partir de segunda-feira.

Contudo, o resultado da eleição não afetará diretamente os democratas, uma vez que eles controlam a Câmara de Representantes (Câmara Baixa), a Casa mais poderosa do Parlamento. A derrota dos democratas foi pior do que o esperado e tornará difícil para que o partido consiga aprovar projetos de lei e avançar na sua agenda progressista, que inclui cortes de gastos do governo, o controle do poder dos burocratas e a injeção de mais dinheiro nas mãos dos consumidores.

Os democratas, que derrotaram no ano passado o conservador Partido Liberal Democrata (LDP), provavelmente vão buscar novos aliados para formar uma coalizão a fim de evitar um impasse parlamentar.

O LDP, agora o maior partido de oposição, ganhou entre 48 e 50 cadeiras no Senado, de acordo com projeções da imprensa local. O número poderia dar ao partido entre 81 e 83 vagas na Casa, superando os 71 assentos que possuía antes da eleição.

Kan, que assumiu o poder um mês depois de seu antecessor, Yukio Hatoyama, deixar abruptamente o posto, pode ter prejudicado o seu partido com sua proposta de aumentar o imposto sobre as vendas nos próximos anos a fim de controlar a dívida pública do Japão.

Mais amplamente, o revés dos democratas pode refletir um descontentamento geral entre os eleitores que ajudaram o partido a conquistar uma vitória esmagadora no ano passado, em meio a esperanças de mudança e de maior transparência e responsabilidade nas políticas. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Japão eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.