1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Patriarca russo chega em Havana para se encontrar com papa Francisco

- Atualizado: 12 Fevereiro 2016 | 10h 52

Previsão é que encontro entre Kirill e o pontífice dure duas horas e seja seguido pela assinatura de uma declaração conjunta

HAVANA - O patriarca russo Kirill chegou na quinta-feira a Havana, primeira parada de uma viagem por vários países da América Latina, incluindo o Brasil, e onde nesta sexta-feira, 12, terá um encontro histórico com o papa Francisco, o primeiro entre os líderes das Igrejas católica e ortodoxa em quase mil anos de cisão.

O avião de Kirill aterrissou por volta de 15h45 (horário local, 18h45 de Brasília) no Aeroporto Internacional José Martí, em Havana, onde foi recebido pelo presidente de Cuba, Raúl Castro, entre outras autoridades civis e religiosas.

Patriarca Kirill, líder da Igreja Ortodoxa Russa, fala com jornalista após chegada em Havana

Patriarca Kirill, líder da Igreja Ortodoxa Russa, fala com jornalista após chegada em Havana

Em uma breve declaração ainda na pista de aterrissagem, ele afirmou que visita com "calor e sentimento crente" pela quarta vez o país, mas a primeira como líder máximo da Igreja Ortodoxa, e destacou a longa relação de cooperação e amizade que une a ilha à Rússia.

"Desejo bem ao povo cubano e alegria a cada um de vocês. Que Deus, com sua misericórdia e amor esteja com vocês" disse Kirill, sem fazer menção ao encontro com Francisco.

Papa Francisco veste sombrero que ganhou de uma jornalista mexicana no voo para Havana. Ele se encontrará com o patriarca ortodoxo russo Kirill

Papa Francisco veste sombrero que ganhou de uma jornalista mexicana no voo para Havana. Ele se encontrará com o patriarca ortodoxo russo Kirill

O pontífice e ele se reunirão à tarde no mesmo aeroporto, quando Francisco fará uma escala na ilha antes de seguir para o México. A previsão é que o encontro dure duas horas e que depois eles assinem uma declaração conjunta.

Antes do encontro, Kirill se reunirá no Palácio da Revolução com o presidente cubano e participará de uma homenagem ao herói independentista cubano José Martí. Ele ficará na ilha até domingo, quando oficiará uma liturgia na Catedral de Nossa Senhora de Kazan, único templo ortodoxo russo da ilha e que reúne 15 mil fiéis. /EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX