Pelo Twitter, Trump diz querer expandir capacidade nuclear dos EUA

Pelo Twitter, Trump diz querer expandir capacidade nuclear dos EUA

Presidente americano eleito não deu detalhes sobre o assunto; medida seria mudança radical na política do país

O Estado de S. Paulo

22 Dezembro 2016 | 17h47
Atualizado 22 Dezembro 2016 | 20h20

WASHINGTON - O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira, 22, que seu país deve expandir seu arsenal nuclear, o que pode ser interpretado como uma virada radical na política americana nuclear em décadas. Horas antes, o presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que reforçará a capacidade nuclear de seu país em 2017.

Em um tuíte com poucos detalhes, Trump afirmou: “Os EUA devem fortalecer e expandir sua capacidade nuclear até o momento em que o mundo recobre a sensatez com relação às armas nucleares”. A afirmação levantou questões sobre se o presidente eleito se referiu a aumentar o número de ogivas nucleares no arsenal americano ou simplesmente a uma modernização do programa de armas nucleares.

Se for interpretada como a primeira hipótese, a afirmação pode reverter uma longa política de presidentes democratas e republicanos para reduzir o número e o papel das armas nucleares, afirmou ao jornal Washington Post o diretor executivo da Associação de Controle de Armas, Daryl G. Kimball. A Rússia – e, antes, a União Soviética – adota política similar.  

Desde a administração de George H. W. Bush, a linha americana tem sido a de não construir novas ogivas. Na gestão do presidente Barack Obama, a política de não buscar mais ogivas continuou, aliada, porém, a uma busca de novas capacidades militares.

Defesa. O tuíte de Trump foi escrito menos de 24 horas depois de um encontro que ele teve com três generais da Força Aérea americana para uma discussão que deveria abordar a modernização da tríade nuclear, ou seja, a capacidade de lançar armas nucleares por terra, mar e ar. Durante a campanha, o presidente eleito foi criticado por não ter conseguido responder com clareza a perguntas sobre qual seria sua postura em relação à tríade.

Segundo estimativas, modernizar o atual arsenal americano custaria US$ 1 trilhão durante 20 anos. Atualmente, os EUA têm 4,5 mil ogivas estocadas (algumas ativas e outras inativas) e mais 1,3 mil em situação operacional.

 

“Se Trump está preocupado com o aumento de custo do F-35, ele provavelmente ficará chocado com os altíssimos custos do plano para modernizar o arsenal nuclear americano. Ele e sua equipe precisam explicar qual é a base desse tuíte”, questionou Kimball.

Segundo a agência Reuters, um porta-voz do presidente eleito afirmou que Trump se referia à “ameaça de proliferação nuclear e à necessidade crítica de preveni-la, especialmente entre organizações terroristas e países instáveis”.

 

Horas antes do tuíte de Trump, Putin, que também havia se reunido com militares, afirmou que a Rússia precisa “expandir a capacidade de combate das forças nucleares estratégicas, principalmente fortalecendo os mísseis que vão atravessar sistemas de defesa atuais e futuros”.

As afirmações dos dois líderes no mesmo dia levantam questões sobre o futuro das relações EUA-Rússia e das perspectivas dos dois países no que diz respeito à capacidade nuclear. / WASHINGTON POST e REUTERS 

 

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.