EFE/Mast Irham
EFE/Mast Irham

Vice-presidente dos EUA elogia prática moderada do Islã na Indonésia

Em visita ao país asiático, Mike Pence afirmou que a ‘religião unifica, não divide’ e ‘dá esperança para um futuro melhor’

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2017 | 04h05
Atualizado 20 Abril 2017 | 12h31

JACARTA - O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, elogiou nesta quinta-feira, 20, a prática moderada do Islã na Indonésia como uma fonte de inspiração para o mundo muçulmano, durante uma visita ao país asiático.

"O Islã tradicionalmente moderado na Indonésia é realmente uma inspiração para o mundo", declarou Pence após um encontro com o presidente do país, Joko Widodo.

"Em sua nação, como na minha, a religião unifica, não divide. Isto nos dá esperança para um futuro melhor e agradecemos a importante fonte de inspiração que a Indonésia representa para o mundo", completou o vice-presidente americano durante a visita ao país muçulmano de maior população do mundo - 257 milhões de habitantes, 90% deles seguidores do Islã.

As declarações de Pence parecem uma tentativa de melhorar as relações entre o governo americano e o mundo muçulmano, após as tensões provocadas por iniciativas recentes do presidente Donald Trump.

O mandatário recebeu muitas críticas ao assinar dois decretos que proibiam temporariamente a entrada nos EUA de cidadãos de seis países de maioria muçulmana - Irã, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen - em nome da luta contra o terrorismo. A Justiça, no entanto, suspendeu a aplicação das medidas.

No entanto, as declarações de Pence foram feitas um dia depois da eleição para governador de Jacarta, com um resultado que parece refletir a crescente influência dos partidários de uma visão rigorosa do Islã na Indonésia.

Na quarta-feira 19, o atual governador cristão da capital do país, Basuki Tjahaja Purnama, processado há alguns meses acusado de insultar o Islã, foi derrotado pelo candidato muçulmano Anies Baswedan. O governador cristão recebeu 42% dos votos, contra 58% do rival.

Veja abaixo: Vice-presidente americano visita Indonésia

Purnama foi indiciado por blasfêmia no fim de 2016, após grandes manifestações organizadas por islamistas conservadores.

A filosofia da Indonésia tem como base a "Pancasila" (cinco princípios), que reconhece a igualdade entre as seis religiões admitidas pelo país. Este não é o caso dos países muçulmanos regidos pela lei islâmica, a sharia. A Constituição do país não inclui nenhuma referência ao Islã, ao contrário, da Malásia, por exemplo, o país vizinho. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.