Peregrinos morrem de gripe suína a caminho da Meca

O Ministério de Saúde da Arábia Saudita anunciou hoje que quatro peregrinos morreram contaminados pelo vírus H1N1, da gripe suína, enquanto se encaminhavam para Meca. Em um comunicado, o ministério disse que nenhuma das vítimas tinha sido vacinada e todas adoeceram dois ou três dias após terem chegado ao país.

AE-AP, Agencia Estado

21 Novembro 2009 | 15h08

Segundo os preceitos islâmicos, a hajj, como a peregrinação é conhecida, deve ser feita ao menos uma vez na vida por todo muçulmano são. A longa caminhada tornou-se fonte de preocupação para as autoridades sanitárias por causa da grande densidade demográfica do evento, justo no período em que o clima começa a ficar mais frio no Hemisfério Norte, o que eleva as chances de disseminação da gripe.

Todos os anos a hajj atrai cerca de três milhões de pessoas de 160 países. Neste ano, a peregrinação começa em 26 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.