REUTERS/Jorge Dan Lopez
REUTERS/Jorge Dan Lopez

Perfil: Jimmy Morales, o comediante que se tornou presidente da Guatemala

Candidato somou número inédito de votos no país após campanha prometendo o fim da corrupção 

O Estado de S. Paulo

26 Outubro 2015 | 12h22

O comediante Jimmy Morales, de 46 anos, somou um número inédito de votos na Guatemala, com 67,43% do apoio eleitoral e se tornou o novo presidente do país

Morales é ex-comediante de TV, evangélico e nunca assumiu carho público, mas apesar da falta de experiência como governante, ele conseguiu tirar proveito da indignação pública sobre um escândalo de corrupção que aprofundou a desconfiança no establishment político do país.

Seu partido, o Frente de Convergência Nacional (FCN-Nación), foi fundado em 2008 por militares veteranos do conflito armado interno.

Cativando eleitores com histórias de suas origens humildes e piadas durante uma temporada de 14 anos de um show de comédia, Morales cortejou o eleitorado com promessas de combater a corrupção e distribuir milhões de smartphones para crianças.

No ano passado, Morales deixou o programa de TV, que se centrava em esquetes e piadas indecentes, para concorrer à Presidência. Em abril, ele mal pontuava nas pesquisas de opinião, mas logo subiu nas sondagens quando o governo do presidente Otto Pérez e um candidato que liderava a corrida presidencial se atolaram num escândalo de corrupção. /EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.