St. Charles County Department of Corrections/KMOV via AP
St. Charles County Department of Corrections/KMOV via AP

Perfil: Sayfullo Saipov, de motorista de Uber a terrorista

Autor do atentado em Nova York chegou ao território americano em 2010 e sabia pouco de inglês

O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2017 | 09h23
Atualizado 01 Novembro 2017 | 20h27

NOVA YORK, EUA - A chegada de Sayfullo Saipov aos EUA, em 2010, começou sem cerimônia em Ohio. “Meu pai o apresentou dizendo ‘Ele é novo nos EUA e ficará conosco’”, disse Bekhzod Abdusamatov, de 22 anos.

+ Presidente do Usbequistão diz que está pronto para ajudar nas investigações do atentado em Nova York

Saipov, responsável pelo ataque terrorista em Manhattan que matou oito pessoas na terça-feira, chegou da capital usbeque, Tashkent, sabendo pouco de inglês, segundo Abdusamatov. Na noite de terça-feira, agentes de polícia foram a um apartamento que supostamente pertencia a Saipov. Descobriram que ele havia ganhado um green card após entrar ao país pelo Aeroporto Internacional John F. Kennedy.

+ Trump reforça controle sobre estrangeiros após ataque em NY

 Ele passou seus primeiros dias nos EUA procurando emprego e tentando melhorar o inglês, contou o anfitrião, que lembrou que o convidado gostava de dormir até tarde. 

Em um certo momento, ele decidiu partir para Fort Myers, Flórida, onde conheceu o imigrante conterrâneo Kobiljon Matkarov. Na época, Saipov trabalhava como motorista de caminhão. 

“Ele era uma pessoa muito boa quando o conheci”, relatou Matkarov. “Ele gostava dos EUA. Parecia muito sortudo. Estava feliz o tempo todo e falava como se tudo estivesse OK. Não parecia um terrorista, mas eu não o conhecia por dentro.” 

Saipov decide voltar para o norte e se instala em Paterson, New Jersey. Nessa cidade, ele começa a trabalhar como motorista do Uber. Um funcionário afirmou que Saipov passou na checagem de antecedentes feita pela empresa. 

“Revisamos agressivamente e rapidamente a história dessa parceria com o Uber e, até agora, não identificamos nenhum tipo de episódio relacionado à segurança”, disse a fonte do Uber. “Estamos colaborando com o FBI.”  / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.