Pesquisa indica segundo turno para eleições chilenas

Os principais candidatos a presidente do Chile, Sebastián Piñera e Eduardo Frei, deverão se enfrentar em um segundo turno nas eleições presidenciais, em janeiro. Segundo pesquisa divulgada hoje pelo Centro de Estudos Públicos (CEP), do Chile, nenhum dos dois é cotado para obter a maioria dos votos nas eleições de 13 de dezembro.

AE, Agencia Estado

11 Novembro 2009 | 18h04

O candidato conservador da oposição, Piñera, tem 36% das intenções de votos, enquanto o ex-presidente chileno Frei, da coalizão governista de centro-esquerda Concertación, fica com 26%, de acordo com a sondagem. "Os resultados indicam claramente que não existe vencedor no primeiro turno, o que levará a um segundo turno", disse a analista do CEP, Carolina Segovia.

Quando questionados a depositar um voto na simulação de urna para um dos dois candidatos mais cotados em um eventual segundo turno, 43% votariam em Piñera, 37% em Frei e 20% não votariam, o que tornaria Piñera o provável vencedor do segundo turno em janeiro. Já quando responderam ao questionário, 40% votariam em Piñera e 36% em Frei, ainda deixando o conservador na liderança.

A pesquisa do CEP foi conduzida entre 8 e 30 de outubro, tem margem de erro de três pontos porcentuais e um nível de confiabilidade de 95%. Muitos analistas políticos veem a pesquisa do CEP como a mais precisa a respeito das intenções de voto nas eleições locais, pois é feita porta a porta tanto nas cidades quanto nas zonas rurais. Nas últimas eleições, a pesquisa do CEP também foi a mais próxima dos resultados reais. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.