AP Photo/Burhan Ozbilici
AP Photo/Burhan Ozbilici

Polícia da Turquia prende 6 pessoas suspeitas de ligação com assassinato do embaixador russo

Mãe, pai, irmã, dois parentes e um colega de apartamento do atirador foram detidos; EUA e Irã anunciaram o fechamento de suas embaixadas e consulados no país

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2016 | 08h38

ANCARA - A polícia turca deteve seis pessoas, segundo um veículo estatal, após o embaixador russo na Turquia ser morto a tiros pelas costas durante um discurso em uma galeria de arte em Ancara, na segunda-feira. O atirador, um policial fora de serviço, gritou “não esqueçam Alepo” e “Allahu Akbar” antes de efetuar os disparos.

A agência de notícias estatal Anadolu disse nesta terça-feira, 20, que a mãe, o pai, a irmã e dois parentes do atirador foram presos na Província de Aydin. O colega de apartamento dele em Ancara também foi detido.

A polícia entrou e saiu de uma área isolada nesta manhã fora da galeria de arte onde o embaixador Andrei Karlov foi morto. Uma van da equipe de investigação criminal estava estacionada do lado de fora do prédio.

Segundo a imprensa local, a polícia está investigando o vínculo entre o assassino e a organização do clérigo muçulmano Fethullah Gulen, acusado pelo governo turco de estar por trás da tentativa de golpe militar realizada em julho. Veículos de imprensa afirmaram que a escola de polícia onde o atacante se formou está sob controle de oficiais gulenistas.

A Rússia enviou à Turquia uma equipe com 18 especialistas para investigar o assassinato de Andrei Karlov, informou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. "O grupo, integrado por 18 pessoas, trabalhará na investigação do assassinato do embaixador russo Andrei Karlov", disse Peskov.

O porta-voz afirmou que a equipe é composta por representantes de distintas instituições, entre elas o Comitê de Instrução e o Ministério das Relações Exteriores da Rússia. "O acordo para isso foi alcançado durante uma conversa telefônica que mantiveram na véspera os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Turquia, Recep Tayyip Erdogan", disse.

Putin advertiu na noite de segunda-feira que "a resposta ao assassinato do embaixador russo na Turquia será o reforço da luta contra o terrorismo. E os bandidos sentirão em suas próprias carnes".

Os EUA informaram que as três missões do país na Turquia seriam fechadas nesta terça-feira após disparos em frente ao prédio da embaixada americana em Ancara durante a noite. A embaixada fica próxima à galeria onde Karlov foi morto. O agressor foi detido pelos agentes de segurança da embaixada americana e o incidente não causou vítimas, segundo informou o canal de notícias turco NTV.

O Irã também anunciou o fechamento de sua embaixada e de seus consulados, e recomendou a seus cidadãos não viajem para Turquia, segundo informações divulgadas pelo jornal Cumhuriyet. A embaixada iraniana em Ancara e os consulados em Istambul, Trebizonda e Erzurum, no norte e no leste do país, também permanecerão fechados.

Os chanceleres da Rússia, Turquia e Irã se encontrarão em Moscou ainda nesta terça-feira para discutir a crise na Síria. Uma delegação russa é esperada em Ancara para realizar investigações sobre o ataque, segundo a rede CNN Türk. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.