EFE/ Abir Sultan
EFE/ Abir Sultan

Polícia de Israel pede indiciamento de Netanyahu por corrupção

Se a Procuradoria-Geral israelense acatar a recomendação dos investigadores, primeiro-ministro será acusado em dois dos casos em que é investigado

O Estado de S.Paulo

13 Fevereiro 2018 | 17h53

JERUSALÉM - Os policiais que investigam os casos de corrupção que envolvem o primeiro-ministro do Israel, Binyamin Netanyahu, recomendaram nesta terça-feira, 13, que a Procuradoria-Geral do país indicie o premiê em duas das investigações que podem torná-lo suspeito. Netanyahu, que nega as acusações, confirmou a recomendação pelo seu indiciamento.

"Essas recomendações não têm nenhum valor jurídico em um país democrático", declarou na TV israelense o primeiro-ministro. "Continuarei a liderar Israel com responsabilidade e fidelidade", disse Netanyahu.

+ Bibi foge de escândalos com agenda antiárabe

O premiê foi interrogado pelas autoridades policiais de seu país diversas vezes desde o início de 2017. De acordo com a legislação israelense, a polícia pode apenas fazer uma recomendação pelo indiciamento de Netanyahu - a decisão sobre a acusação final cabe ao procurador-geral de Israel,  Avichai Mandelblit.

De acordo com a imprensa israelense, a polícia pede o indiciamento do primeiro-ministro por um caso que envolve o recebimento de presentes de empresários e outro relacionado a conversas que Netanyahu teria tido com o diretor de um jornal do país sobre limitar a competição no setor de imprensa em troca de uma cobertura positiva de suas ações. / REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.