AP Photo/Amel Emric
AP Photo/Amel Emric

Polícia encontra 8 imigrantes vivos em caminhão frigorífico no norte da França

Todos estavam em bom estado de saúde. Entre eles, sete eram menores de idade e foram encaminhados à ONG France Terre d’Asile

O Estado de S. Paulo

11 Abril 2016 | 11h07

LILLE, FRANÇA - Oito imigrantes da Eritreia, sete deles menores de idade, foram encontrados vivos em um caminhão frigorífico nesta segunda-feira, 11, em Saint-Omer, no norte da França, informou a polícia.

Todos estavam em bom estado de saúde e os menores de idade foram entregues à ONG France Terre d'Asile, que levará todos para um abrigo de jovens refugiados de Saint-Omer.

No sábado, 13 iranianos, entre eles três menores, foram encontrados em outro caminhão frigorífico em uma área de descanso da auto-estrada A26, em Aisne.

Um dia antes, policiais encontraram dois imigrantes escondidos em um caminhão, uma afegã de 38 anos e seu filho de 22, em Croix-en-Ternois, na mesma região de Pas-de-Calais.

Violência. A agência de refugiados da ONU condenou nesta segunda-feira o uso de gás lacrimogêneo pela polícia da Macedônia contra refugiados na fronteira com a Grécia, e informou que tal ação prejudica a imagem da Europa.

Dezenas de imigrantes e refugiados ficaram feridos no domingo quando a polícia da Macedônia atirou balas de borracha e gás lacrimogêneo contra uma multidão no lado grego da fronteira, disseram funcionários de resgate gregos, em uma ação qualificada pela Grécia como "perigosa e deplorável".

"Vimos a tensão se desenvolvendo em diversas fronteiras europeias, entre forças da segurança em um lado e pessoas fugindo da guerra e em necessidade de ajuda no outro", disse o porta-voz da agência da ONU para os Refugidos (Acnur), Adrian Edwards, em comunicado.

"Pessoas se machucam e propriedades são danificadas. Danos são feitos para a percepção de refugiados e para a imagem da Europa. Todos perdem".

Cerca de 11 mil imigrantes e refugiados ficaram no ponto de Idomeni, na fronteira grega, desde fevereiro, após uma série de repressões nas fronteiras pelos Bálcãs fecharem a rota para o leste e o centro da Europa. Eles estão dormindo há muitas semanas a céu aberto e sob condições precárias. /AFP e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
crise migratória França refugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.