Polícia faz cerco a atirador que matou 4 dentro de escola em Toulouse, na França

Operação teve início nesta madrugada; jovem pertenceria à Al Qaeda e está dentro de uma casa no bairro de Côte Pavée

Efe,

21 Março 2012 | 03h27

Atualizado às 4h00

 

PARIS - Uma grande operação policial acontece nesta quarta-feira em um bairro residencial de Toulouse para deter o suspeito de ter cometido sete assassinatos na região. O suspeito, de 24 anos, está cercado por agentes especiais em uma casa do bairro de Côte Pavée e, pertence a um grupo islamita recentemente dissolvido pelo Ministério do Interior, indicou a emissora de televisão "BFM".

 

O jovem, que a polícia considera ser o autor de sete mortes nessa cidade e em seus arredores, perenceria à Al Qaeda, informou o ministro do Interior francês, Claude Guéant. "Repete seu compromisso com a Al Qaeda e com meios jihadistas", assinalou o ministro, que se transferiu ao bairro residencial de Côte Pavée, onde continua a negociação com o suspeito.

 

Guéant confirmou que se trata de um jovem de nacionalidade francesa e residente em Toulouse que viajara a Afeganistão e Paquistão e que "tem laços com pessoas do salafismo e do jihadismo". O ministro assegurou que o homem afirma agir "para vingar as crianças palestinas e denunciar a presença estrangeira no Afeganistão"

 

 

O irmão do suspeito foi detido, acrescentou o ministro, enquanto o promotor antiterrorista assinalou que "outras operações" estão sendo produzidas em Toulouse. Guéant contou que os policiais acudiram de madrugada ao domicílio do suspeito, que respondeu imediatamente com disparos, nos quais um agente ficou ferido.

 

O lugar foi cercado por agentes de um grupo especializado e foram trocados mais disparos antes do início de uma fase de negociação. Os agentes apelaram à mãe do suspeito, que foi conduzida ao local mas que não quis negociar com seu filho ao considerar que não tem influência sobre o jovem. A comunicação com o homem acontece através da porta da casa, indicou o ministro.

 

A operação policial começou pouco depois das 3h locais (22h de terça-feira em Brasília) quando o homem, um jovem de 24 anos, foi cercado e ocorreu um primeiro tiroteio no qual dois agentes ficaram feridos. Posteriormente iniciou-se uma fase de negociação na qual sua mãe interveio, mas, após o fracasso da mesma, voltaram a ser ouvidos disparos, que se mantêm neste momento.

 

Segundo a "BFM", o suspeito pertence ao grupo islamita Forsane Alliza, próximo à Al Qaeda e que foi dissolvido por encarregar-se do recrutamento de combatentes para Paquistão e Afeganistão, países que podem ter sido visitados por ele recentemente. O irmão do homem que está cercado pela polícia também é suspeito de pertencer à mesma organização islamita.

 

O jovem de 24 anos fazia parte da lista de suspeitos da Polícia de ter matado um soldado oriundo do norte da África no último dia 11 em Toulouse. Posteriormente, outros dois militares de um regimento de paraquedistas foram assassinados em Montauban, localidade próxima a Toulouse, com a mesma arma, e na segunda-feira passada três crianças e um adulto morreram em uma escola judaica em Toulouse.

 

Até 200 agentes especializados foram desdobrados na região para buscar o suspeito, que utilizou nos três crimes a mesma pistola e que, em cada um dos casos, fugiu em um moto da mesma marca. Descrito pelo promotor de Paris, François Moulins, como um indivíduo "extremamente determinado, com muito sangue frio e com alvos extremamente definidos", o homem matou suas quatro vítimas com disparos à queima-roupa na cabeça.

 

Além disso, deixou duas pessoas gravemente feridas: um terceiro soldado de origem antilhana no tiroteio de Toulouse no dia 15 e um adolescente na escola judaica dessa cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.