1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Político indiano diz que estupro 'às vezes é certo'

O Estado de S. Paulo

05 Junho 2014 | 15h 36

Babulal Gaur, do partido do primeiro-ministro Narendra Modi, afirma que para ser crime, o estupro precisa ser denunciado na polícia

NOVA DÉLHI - Um político do partido do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, classificou o estupro como um crime social e afirmou que "às vezes isso (o crime) é correto, às vezes é errado". Babulal Gaur, ministro do Interior pelo Bharatiya Janata Party (BJP), acrescentou que o estupro só pode ser tratado como crime quando é informado à polícia.

"Esse é um crime social que depende do homem e da mulher. Às vezes é certo, às vezes é errado. Até que haja uma queixa, nada pode ser feito", disse o político. Na semana passada, duas primas, de 12 e 14 anos, foram estupradas e mortas enforcadas em Uttar Pradesh.

O BJP divulgou comunicado dizendo que as afirmações de Gaur não refletem a posição do partido, mas a opinião de um político. Modi, eleito como premiê em maio, não comentou o assunto ou a morte das duas meninas.

Esse é um crime social que depende do homem e da mulher. Às vezes é certo, às vezes é errado

Líderes políticos de Uttar Pradesh foram criticados por não visitar a cena do crime e afirmarem que a imprensa estava exagerando ao reportar o caso.

O pai e o tio de uma das meninas disseram que tentaram denunciar o crime para a polícia local mas os policiais se negaram a registrar a ocorrência. Três policiais foram presos pelo crime e dois estão detidos acusados de serem cúmplices.

Um estupro é registrado a cada 21 minutos na Índia, mas políticos não conseguem aprovar uma lei que torne mais dura a pena para o crime - um sintoma da opressão de indianos em razão da divisão por castas.

As meninas estupradas e mortas em Uttar Pradesh eram da casta dalits. Os acusados pelo crime são da casta yadav - que está acima da dalits. / REUTERS