Bloomberg photo by Zach Gibson
Bloomberg photo by Zach Gibson

Premiê libanês deixará a Arábia Saudita e irá para a França

Saad Hariri deve se reunir com Macron antes de retornar para Beirute e apresentar renúncia formal ao cargo

O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2017 | 11h55

RIAD - O primeiro-ministro libanês, Saad al-Hariri,  deve partir da Arábia Saudita rumo à França dentro de 48 horas e depois voará de volta para Beirute para entregar pessoalmente sua renúncia ao cargo de primeiro-ministro do Líbano, disse uma fonte próxima ao premiê nesta quinta-feira, 16.

+Na Arábia Saudita, golpe do príncipe Mohamed bin Salman

Hariri anunciou sua renúncia por meio de um discurso transmitido pela televisão da Arábia Saudita no dia 4 de novembro e ainda não voltou ao seu país. Na quarta-feira, ele disse que voltará para casa em breve.

Também na quarta-feira o presidente francês, Emmanuel Macron, disse em um comunicado que convidou Hariri a ir para a França depois de conversar com ele e o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman. O convite é para uma visita de alguns dias, e não uma oferta de asilo político, afirmou Macron na Alemanha. Hariri deve ir à França com a família, segundo a fonte.

O presidente libanês, Michel Aoun, afirmou que não aceitará a renúncia até Hariri voltar ao Líbano para apresentá-la formalmente e explicar suas razões.

+Premiê libanês cogita rever renúncia se Hezbollah deixar conflitos regionais

Hariri viajou a Riad em 3 de novembro e renunciou subitamente um dia depois, permanecendo na capital saudita desde então. Autoridades libanesas de primeiro escalão e políticos de destaque próximos de Hariri disseram à Reuters que ele foi obrigado a entregar o cargo.

Hariri e a Arábia Saudita negaram que ele estivesse detido em Riad ou que fora coagido a renunciar./ REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.