1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Presidente da Ucrânia pode dissolver o Parlamento em 24 de agosto

REUTERS

21 Agosto 2014 | 12h 14

No caso de dissolução, haveria uma nova eleição parlamentar no fim de outubro; o governo de coalizão do país foi desfeito em 24 de julho

Mykhailo Markiv/Reuters
Petro Poroshenko afirmou que a decisão será tomada quando houver uma base constitucional para fazer a dissolução

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, disse nesta quinta-feira que pode anunciar a dissolução do Parlamento a partir de domingo, uma medida que leva à realização de uma nova eleição parlamentar no fim de outubro.

"A decisão vai ser tomada quando houver uma base constitucional para isso e tal momento, como todos sabem, é no dia da Independência (24 de agosto)", disse Poroshenko, segundo a agência de notícias Interfax Ucrânia.

O governo de coalizão na Ucrânia, formado após a queda do presidente apoiado por Moscou na esteira de protestos de rua em fevereiro, foi desfeito em 24 de julho.

A constituição determina um prazo de pelo menos um mês antes que o Parlamento possa ser dissolvido.

Poroshenko, um rico empresário do setor de alimentos, e seu governo pró-Europa esperam conseguir estabilizar a situação do país o suficiente para realizar uma eleição sob condições normais em outubro, o que daria maior legitimidade ao seu governo.

"Em minhas discussões com facções de partidos e líderes parlamentares, vamos ser guiados pelo desejo do povo ucraniano. Eles querem um reinício, querem um expurgo (do sistema). As eleições vão ser a melhor maneira de expurgo", disse ele.

De acordo com Poroshenko, 80 por cento da população quer uma eleição, e ele estaria pronto a satisfazê-los. "Vamos atender ao desejo do povo", disse ele.

(Texto de Richard Balmforth)