Philippe Wojazer, Pool via AP
Philippe Wojazer, Pool via AP

Presidente do Egito descarta terceiro mandato em 2022

Desde que chegou ao poder, Abdel Fatah al-Sissi eliminou toda oposição, islamita, laica ou liberal

O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2017 | 11h30

CAIRO - O presidente egípcio Abdel Fatah al-Sissi afirmou, a poucos meses da eleição presidencial de 2018, que não pretende disputar um terceiro mandato em 2022, em uma entrevista ao canal CNBC. O líder do Egito, ex-comandante das Forças Armadas e que derrubou o seu antecessor em 2013, Mohamed Morsi, membro da Irmandade Muçulmana, iniciou uma repressão implacável aos integrantes desta organização.

+Gilles Lapouge: O marechal na Europa

Em 2014 foi eleito presidente com 96,9% dos votos em uma disputa sem um rival competitivo. Sissi, eleito para um mandato de quatro anos, deve disputar uma novo mandato em 2018. "Planejamos (organizar a eleição) em março ou abril", afirmou Sissi na entrevista.

Segundo a Constituição, um presidente pode aspirar dois mandatos de quatro anos. "Sou favorável a conservar dois mandatos de quatro anos", afirmou Sissi ao canal americano, garantindo que não pretende modificar a Constituição.

Desde que chegou ao poder, Sissi eliminou toda oposição, islamita, laica ou liberal. Governa o país com mão de ferro e criticado pelas organizações de defesa dos direitos humanos. No momento, o advogado e ativista dos direitos humanos Khaled Ali é o único candidato declarado para disputar a presidência contra Sissi em 2018.

+ Entrevista: 'Muitos estão tentando fazer mudanças no Egito de dentro para fora'

Khaled Ali, militante de esquerda de 45 anos, é uma figura popular da revolução de 2011 que provocou a queda do presidente Hosni Mubarak, que governou o país por quase 30 anos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.