AP Photo/Pavel Golovkin
AP Photo/Pavel Golovkin

Presidente do Usbequistão diz que está pronto para ajudar nas investigações do atentado em Nova York

Imprensa americana informou que o autor da ação é um cidadão usbeque que mora nos EUA desde 2010; oito pessoas morreram no ataque, incluindo cinco argentinos

O Estado de S.Paulo

01 Novembro 2017 | 08h19

TASHKENT - O presidente do Usbequistão, Shavkat Mirziyoyev, disse ao líder americano, Donald Trump, em uma carta de condolências enviada nesta quarta-feira, 1.º, que seu país está pronto para usar todos os recursos para ajudar a investigar o ataque terrorista realizado na véspera em Nova York.

+ Trump reforça controle sobre estrangeiros após ataque em NY

"O Usbequistão está disposto a usar todas as suas forças e recursos para ajudar na investigação sobre este ato terrorista", afirmou Mirziyoyev, citado em um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

+ Quando o Halloween se tornou real em Nova York

O governo usbeque já havia afirmado mais cedo que está investigando relatos de que um homem usbeque estaria por trás do atentado que matou 8 pessoas, incluindo cinco argentinos, e deixou ao menos 11 feridos, no que autoridades americanas qualificaram como um ato de terrorismo.

A imprensa americana informou que o motorista da caminhonete é um usbeque que mora nos EUA desde 2010.

"A tragédia que aconteceu confirma de novo a necessidade de unir os esforços de toda a comunidade internacional na luta contra este desafio de nossa época", completou Mirziyoyev.

O Usbequistão, uma ex-república soviética de maioria muçulmana, tem centenas de cidadãos que lutam em grupos jihadistas no Iraque e na Síria, segundo estimativas dos serviços de segurança russos. / REUTERS e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.